quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Fotos do sorteio de prêmios na Gibiteca

 Hoje tivemos o sorteio de prêmios na Gibiteca, Ganhamos 79 brindes e foram todos sorteados hoje a tarde para os alunos que mais utilizaram a gibiteca durante o ano. O número foi muito maior do que no ano de 2011 e esperamos que em 2013 mais alunos possam participar. Recebemos muitas doações de brindes, de pessoas de Leopoldina e de fora. Como corro o risco de esquecer de alguém, deixo aqui meu agradecimento coletivo.


Iríamos ter a gincana, hoje também, mas o tempo estava muito carregado e como ontem choveu muito e teve até tromba d'agua aqui perto, optamos por fazer apenas os sorteios, uma vez que as crianças já estavam reunidas na quadra. Mas vamos ter a gincana na semana que vem, com mais prêmios, pois ainda estamos recebendo brindes para sortear.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Você conhece o Recruta Zero?

Recruta Zero (Beetle Bailey) é uma personagem de quadrinhos e desenho animado criado por Mort Walker.  É um recruta do exército americano, lotado no quartel Camp Swampy. Sempre cultivando sua preguiça e bom-humor, Zero é implacavelmente perseguido pelo adiposo e volátil Sargento Tainha, que não admite nenhuma insubordinação. Ainda assim, Beetle Bailey sempre dá um jeito de escapar da labuta. 

Seu lema de vida é: Never let to tomorrow what you can do the day after tomorrow ("Nunca deixe para amanhã o que você pode fazer depois de amanhã"). Outro de seus famosos aforismos é: It´s funny how time flies when we are goofing off ("É engraçado como o tempo voa quando a gente está de folga").

Trancrito da Wikipedia



Se quiser conhecer as histórias do personagem, temos várias revistas do Zero na Gibiteca.

domingo, 25 de novembro de 2012

Diga sim a vida: vídeo conscientiza sobre o perigo de se beber e dirigir

Um curta da Tina e sua turma sobre álcool e, tb, seus do perigo de beber e dirigir. Muito legal! Um minuto apenas. Ótimo para introduzir o tema.

sábado, 24 de novembro de 2012

LEIAM A PRIMEIRA PUBLICAÇÃO DA GIBITECA

Com matérias e quadrinhos feitos por alunos, estamos lançando o GIBITECA NOTÍCIAS – Especial Consciência Negra, a publicação #01 da nossa Gibiteca. A ideia é abrir espaço para que os alunos possam mostrar aquilo que produziram na sala de aula. São quadrinhos, entrevistas, poesia e muito mais. Confira!


FESTA DA CONSCIÊNCIA NEGRA: EXPOSIÇÃO DA GIBITECA

Fizemos hoje nossa pequena exposição sobre o Negro nos Quadrinhos na nossa escola, como parte da comemoração da Semana da Consciência Negra. Montamos um espaço para que os alunos pudessem ler e ainda aprender mais sobre a História das Histórias em Quadrinhos. Tivemos pessoas de todas as idades e muita gente tirando fotografia. 

Confira as fotos!


terça-feira, 20 de novembro de 2012

O Médico e o Monstro voltarão ao cinema em adaptação de quadrinhos


A clássica história de terror “O Médico e o Monstro” vai ganhar mais uma adaptação para o cinema. A diferença é que desta vez a adaptação não será sobre o romance gótico de Robert Louis Stevenson, publicado no século 19, mas sim de uma história em quadrinhos, “The Strange Case of Hyde”, da editora Dark Horse, que foi lançada em 2010.

Na história original, o Dr. Jekyll buscava uma maneira de separar o lado bom da personalidade do seu lado mais sombrio. Ele cria uma poção, que ao invés de resolver o problema, acaba lhe transformando em um monstro selvagem e perigoso, que se intitula Mr. Hyde.

De acordo com o site The Wrap, o roteirista Albert Torres (“O Paraíso É Logo Aqui”) está escrevendo a adaptação. Torres também escreveu o roteiro nunca filmado da adaptação do mangá “Akira”. O plano é colocar novidades na trama, levando a questão da dupla personalidade para o centro da história e acrescentando ação e aventura na Inglaterra Vitoriana, ao estilo do filme “Sherlock Holmes”, com direito à luta contra outras criaturas da época.

“O Médico e o Monstro” já ganhou diversas adaptações para o cinema, entre elas o clássico homônimo de 1931, com Ingrid Bergman no elenco. Os personagens também já apareceram em algumas histórias em quadrinhos. E, curiosamente, uma adaptação de quadrinhos com Dr. Jeckyll e Mr. Hyde foi levada às telas há pouco tempo: “A Liga Extraordinária” (2003). 

O novo filme está sendo produzido em parceria pela Skydance Productions, Dark Horse Entertainment e Mark Gordon Company.

PUBLICADO NO PIPOCA MODERNA

domingo, 18 de novembro de 2012

Concurso usa tirinhas para mostrar participação africana na cultura brasileira

Dia 26 será a final do concurso ‘Literatura e Africanidades em Histórias em Quadrinhos’, no auditório da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). A disputa faz parte do projeto da secretaria municipal de Educação de Nova Iguaçu de usar as tirinhas para motivar os alunos a participar.

O objetivo é, de forma divertida, inserir no currículo a discussão de temas ligados à participação africana na formação cultural brasileira. A programação faz parte da ‘Semana de Consciência Negra’.

Serão premiados os três primeiros nas categorias infantil (primeiro ao quinto ano) e juvenil (sexto ao nono ano) e os professores. O concurso foi lançado em setembro, durante formação com incentivadores da leitura e produção textual.

Para a composição do trabalho com as crianças, os educadores participaram de formação continuada sobre o gênero literário. Na categoria infantil, os alunos das séries iniciais, com apoio dos ‘Incentivadores da Leitura’, fizeram histórias em quadrinhos com no máximo seis cenas. Já na segunda, produziram tirinhas de três cenas.

Segundo os professores, os resultados foram bons. Aline Cristina Moura Vieira, incentivadora da leitura da Escola Municipal Professor Márcio Caulino Soares, trabalhou com os alunos do quinto ano o autor Maurício de Souza e depois os contos africanos. Victor Hugo da Silvam aluno dela, está entre os finalistas do concurso com a tira ‘Ora, Vai Procurar Sua Turma’, que trata do preconceito.

Já a professora de Incentivo a Leitura e Produção Textual Silea Ferreira Gonçalves contou que não teve dificuldades em trabalhar a temática. “A questão do preconceito é cultural e também faltam informações. Eles gostam da comida, da dança, admiram o penteado, mas não associam tudo isso ao continente africano”, explicou a professora. 

PUBLICADO ORIGINALMENTE NO O DIA

sábado, 17 de novembro de 2012

Programação especial para a segunda quinzena de novembro na GIibiteca Escolar

Estamos com um fim de ano agitado. Esta semana, teremos uma exposição especial para comemorar a Semana da Consciência Negra na E. M. Judith Lintz. Para tanto estaremos com uma exposição sobre o NEGRO NOS QUADRINHOS. A exposição acontecerá no dia 24 de novembro, das 08:00 às 11:00 e estará aberta para toda a comunidade.

No dia 28 de novembro teremos uma competição de conhecimento, com alunos do Fundamental II. Poderaão se inscrever todos os alunos da escola que, durante o ano, frequentaram e leram muitos quadrinhos na nossa gibiteca. Os assuntos abordados na gincana serão, claro, sobre quadrinhos. Serão perguntas sobre personagens, autores, curiosidades que só poderão ser respondidas por quem realmente leu muito durante o ano.

O vencedor da gincana irá receber um prêmio especial, além de um certificado.

Haverá, também, sorteio de prêmios para alunos da escola. A gincana terá inicio às 15:30  mas será apenas para alunos e funcionários.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

História em quadrinhos sobre a Ditadura Militar

Este livro é uma história em quadrinhos destinada ao público jovem. Trata-se da história de Clarice, uma menina que cresceu durante o regime militar no Brasil. A partir de sua história são narrados alguns momentos marcantes desse período no nosso país. 

O livro é de autoria de Joana D'Arc Fernandes Ferraz, professora da UFF, membro da diretoria do " Grupo Tortura Nunca Mais" e pesquisadora da memória do regime militar brasileiro e de Elaine de Almeida Bortone, psicóloga, historiadora e pesquisadora da memória do regime militar brasileiro. Os desenhos são de Diana Helene, ilustradora, cartunista e designer gráfica.

Eu e a Joana, minha orientadora do mestrado, fizemos um livro, uma história em quadrinhos, para o público jovem sobre a ditadura militar. Este tipo de literatura é inédita no Brasil, comum em outros países que viveram recentemente uma ditadura militar, tais como Argentina, Chile, etc.

O projeto recebeu o apoio da FAPERJ.

Lançamento: dia 29 de Novembro, às 18h, no Museu da República - Auditório, Rua do Catete, 253 - Catete - Rio de Janeiro

PUBLICADO NO REDE DEMOCRÁTICA

Gibiteca SESI comemora dez anos e promove bate-papo com autores

A Gibiteca do Centro Cultural SESI Vila Leopoldina (Rua Carlos Weber, 835), em São Paulo/SP, está comemorando dez anos de fundação, e, para marcar a data, promoverá uma série de eventos com autores durante a próxima semana. Veja abaixo a programação completa. 

Ciclo de bate-papos
21/11 – 19h30min – Álvaro de Moya: jornalista, professor, roteirista, produtor e diretor de cinema e TV. Autor dos livros Shazam!, História das Histórias em Quadrinhos, O Mundo de Disney, Anos 50 - 50 Anos, Vapt-Vupt, Literatura Brasileira em Quadrinhos, dentre outros. É o idealizador da gibiteca do  SESI Vila Leopoldina e foi o único brasileiro escolhido pela Universidade La Sapienza, de Roma, para determinar a data do centenário dos quadrinhos.

22/11 – 19h30min – Angeli e Laerte
Angeli é cartunista e chargista. Tem uma vasta galeria de personagens anárquicos e urbanos, como Rê Bordosa, Os Skrotinhos, Bob Cuspe e Wood & Stock. Atualmente, desenha para a Folha de S.Paulo e para o portal UOL.

Laerte Coutinho é um dos criadores da revista Balão e da empresa Oboré. Publicou seus trabalhos no O Pasquim, O Bicho, Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e várias revistas. Editou ainda a revista Piratas do Tietê e participou da redação de programas de televisão como TV Pirata, TV Colosso e Sai de Baixo.

23/11 – 19h30min – Fernando Gonsales: criador do personagem Níquel Náusea, que retrata, de modo bem-humorado, a fauna urbana de São Paulo. Iniciou sua carreira na Folha de S.Paulo com tiras diárias, depois de vencer concurso do próprio jornal. Seus trabalhos já foram compilados e lançados em livros no Brasil e exterior.

Oficina de Nanquim
24/11 – 14h – José Wilson Magalhães: arte-finalista das HQs do Wolverine e Vingadores, para a Marvel. Atualmente, é ilustrador do Estúdio Ilustrarte Brasil e professor de arte-final e desenho a nanquim. A oficina abordará a prática e teoria sobre o estudo do preto e branco com a utilização do nanquim e técnicas de movimento, equilíbrio, textura, volume, ritmo, harmonia, profundidade, luz e sombra. 

A entrada é gratuita, mas as vagas são limitadas. Reservas podem ser feitas pelo telefone 0XX-11-3834-3458 ou pelo e-mail centroculturalsesi@sesisp.org.br.

PUBLICADO NO UNIVERSO HQ

Gibi da Turma da Mônica alerta sobre trabalho infantil

A edição de novembro da revista em quadrinhos da Magali traz um encarte especial sobre um tema que atinge mais de 3,6 milhões de crianças e adolescentes no Brasil: o trabalho infantil. O material, produzido pela Mauricio de Sousa Produções, faz parte da campanha “É da nossa conta! Trabalho Infantil e Adolescente”, desenvolvida pela Fundação Telefônica Vivo em parceria com a Unicef e a OIT (Organização Internacional do Trabalho). O objetivo é dar visibilidade ao tema para que a sociedade civil possa reconhecer situações de trabalho infantil e adolescente e saber como enfrentar o problema.
 
O encarte “Trabalho infantil nem de brincadeira!" aborda a temática do trabalho infantil e será distribuído gratuitamente junto com a revista em quadrinhos da Magali. A personagem Mônica é a protagonista da história que alerta, de forma lúdica e de fácil compreensão, em linguagem adequada para o público infantil e adolescente, para aspectos pouco conhecidos a respeito da exploração do trabalho de jovens cidadãos no País. São 16 páginas coloridas, em formato 13,4 x 19 cm. A Campanha, que envolve a distribuição da revista em quadrinhos, eventos, ações virais com vídeos distribuídos nas redes sociais, protagonismo juvenil, entre outros, pretende sensibilizar e potencializar a ação junto a diversos públicos, incluindo crianças, adolescentes e especialistas no assunto. A estratégia é propor aos cidadãos que se tornem agentes multiplicadores, produzindo e compartilhando informações nas redes sociais.

FONTE: MAURÍCIO DE SOUSA PRODUÇÕES

Quadrinhos, consciência negra e língua portuguesa

Ontem a professora Deliminda (Delma para os íntimos) de língua portuguesa do oitavo ano realizou um trabalho com três turmas utilizando a revistinha da Turma do Xaxado "Mama África", aproveitando a proximidade com a Semana da Consciência Negra, que na escola será festejada por meio de uma série de atividades dentro e fora da sala de aula. A revistinha foi usada para desenvolver habilidades gramaticais. Segue o relato da professora:

Adorei " A Turma do Xaxado, Mama África". Foi providencial nessa semana que antecede o Dia da Consciência Negra. aproveitamos o primeiro episódio para fazermos um estudo de revisão do uso de /m/ e /n/ antes de /p/ e /b/; e de /d/, /t/, /g/, respectivamente, além do uso de x, ch, ç. Foi ótimo. Exercitamos, também, separação de sílabas, ditongo, tritongo e hiato.
Clique na imagem para ampliar
A primeira história da revista fala sobre palavras de origem africana e foram justamente estas palavras que foram utilizadas pela professora na atividade.

A professora Delma faz um trabalho muito legal com os alunos na Gibiteca. Aliás, tando ela quanto a professora Luísa Peres separam uma aula por semana para que os alunos tenho um momento de leitura e eles também levam para casa gibis, toda semana.  Elas trabalho, com frequência, quadrinhos que fazem adaptação de literatura, formando novos hábitos de leitura mas sem tirar do aluno a sua liberdade de escolha.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Alunos da Escola Estadual Omar Resente Peres visitam a Gibiteca

Nesta terça-feira, dia 13 de novembro a nossa Gibiteca recebeu a visita dos alunos da  da E.E.Omar Resende Peres, para conhecer nosso trabalho e, claro, ler quadrinhos.
Segundo a professora Roseane Peres, que organizou a visita:

"Podemos afirmar que o papel do gibi em todo processo de aprendizagem, afetividade e emoções é de fundamental importância, pois por possuir uma linguagem prática, curta e colorida, tem a finalidade de despertar o interesse pela leitura e influenciar costumes e culturas, voltado basicamente para a nossa realidade". 

A professora Roseane também é professora na nossa escola e usa quadrinhos nas atividades de matemártica.

Também acompanharam a visita nossas alunas do 9º ano, responsáveis pelo monitoriamento da Gibiteca. Vejam algumas fotos:






  

Novas aquisições da Gibiteca

Este mês compramos mais revistas em quadrinhos para a gibiteca, ainda com o dinheiro da noss baraquinha de doces (é está rendendo, mas mês que vem acaba). Não consegui copiar todas as capas, mas dentre os quadrinhos que compramas temos Snoopy, Mônica Jovem, Luluzinha Teen, Luluzinha, Bolinha e Gasparzinho. Venha nos visitar e confira :-)








FBN abre convocatória para tradução de obras brasileiras de literatura infantojuvenil e histórias em quadrinhos

Difundir a literatura infantojuvenil e a produção de histórias em quadrinhos (HQs) brasileiras no exterior. Este é o objetivo da nova convocatória da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), que apoiará editoras estrangeiras que queiram traduzir, publicar e distribuir, em seus países, obras de autores brasileiros nestes segmentos, já publicadas no Brasil. O chamado se insere no âmbito do Programa de Apoio à Tradução e à Publicação de Autores Brasileiros no Exterior, que já patrocinou a tradução de 164 livros de julho de 2011 a outubro de 2012.
 
O apoio concedido às editoras será de no máximo US$8 mil e poderá contemplar tanto os custos de tradução quanto os custos de edição dos projetos aprovados. As obras apoiadas deverão ser publicadas até 1º de março de 2014. Tanto os projetos enviados para avaliação, quanto os projetos aprovados deverão respeitar as normas e os critérios estabelecidos no edital do Programa de Apoio à Tradução e à Publicação de Autores Brasileiros no Exterior, disponível no portal da Biblioteca Nacional: www.bn.br.
Estimular a publicação internacional de autores brasileiros de literatura infantil e juvenil é uma das prioridades da FBN uma vez que, em 2014, o Brasil será homenageado na Feira do Livro para Crianças de Bolonha, a mais importante neste setor. Uma das iniciativas para a divulgação destes autores no exterior é a 3ª edição da Revista Machado – Literatura Brasileira em Tradução, inteiramente dedicada à literatura pra crianças e jovens. A revista, parceria da FBN com o Itamaraty, Itaú Cultural e Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, será lançada na Feira de Bolonha, em março de 2014.
 
Os quadrinhos brasileiros no exterior
 
Durante muito tempo, sempre que se falava sobre quadrinhos brasileiros publicados no exterior, o único autor que conseguíamos encontrar era Maurício de Souza e sua Turma da Mônica. No entanto, nos últimos anos, jovens autores brasileiros de graphic novels como Fábio Moon, Gabriel Bá, Rafael Grampá, Gustavo Duarte, Rafael Coutinho, Daniel Galera e Lourenço Mutarelli estão começando a se tornar famosos em países como os EUA, a França e a Itália.
Um bom exemplo dessa mudança é a "Daytripper", uma novela gráfica (graphic novel), de Fábio Moon e Gabriel Bá, publicada, em 2011, pela Panini Books. Embora ambos os autores sejam brasileiros, o romance foi publicado pela primeira vez nos EUA pela Vertigo. "O editor americano, o Bob Schreck, conhecia nossos trabalhos publicados aqui no Brasil e queria uma proposta de uma história nova nossa. Mandamos várias ideias e a que ele gostou mais e que nós continuamos desenvolvendo acabou virando a ‘Daytripper’", explica Moon. A novela acabou ganhando o Eisner e o Harvey Awards de 2012, já foi publicada na França (Urban Comics), Espanha e Itália (Planeta DeAgostini) e será lançada em breve na Polónia (Mucha Comics) e Dinamarca (G Flory).
Outro bom exemplo é "Cachalote", de Daniel Galera e Rafael Coutinho. Publicada no Brasil em 2010, pela Companhia das Letras, ela será lançada no próximo mês na França pela Cambourakis, com o financiamento do Programa de Apoio à Tradução da FBN. "O fato de os dois serem brasileiros já era interessante, porque temos poucas novelas gráficas brasileiras na França e estamos sempre tentando encontrar talentos novos e originais", afirma o editor francês do livro, Frédéric Cambourakis. "Além disso, o tradutor, Dominique Nedellec, com quem já trabalhamos várias vezes, leu e gostou do livro. Era obviamente um livro original, com uma estrutura inteligente e atmosfera incrível. Ele se encaixava perfeitamente na nossa linha editorial".
PUBLICADO NO JORNAL DIA A DIA

HQs: Crianças refletem sobre problemas sociais

Conheça as Histórias em Quadrinhos vencedoras do 7ª Concurso Cultural de Gibi. Os alunos, após a leitura de matérias jornalísticas, veiculadas no jornal no período da promoção (de 10 de setembro a 10 de outubro), produziram os trabalhos. Foram mais de 350 HQs enviadas à equipe do Diário na Escola. Sendo três vencedores na categoria escolas da rede municipal de Maringá; três vencedores das escolas da região e um vencedor na categoria escolas apoiadas pela Concessionária de Rodovias, Viapar. As premiações foram feitas aos alunos e seus professores nas escolas. Familiares das crianças vencedoras, professores de diversas áreas, alunos e secretários municipais da educação acompanharam as entregas de prêmios. As principais temáticas abordadas foram: violência, abuso sexual, pedofilia, abandono de animais, pichação, direção e bebida alcoólica, destruição da natureza etc.

A seguir as Histórias em Quadrinhos vencedoras. Foram três etapas de seleção: a primeira feita pela equipe do Diário na Escola; a segunda pela professora Ms. Maisa Cardoso, que ministrou a oficina de capacitação aos professores para esse concurso cultural e, por fim, a jornalista e professora Ms. Cristiane Parente, coordenadora dos Programas de Jornal e Educação, da Associação Nacional de Jornais, PJE/ANJ, definiu os sete vencedores.

Mais informações, clicando aqui!

PUBLICADO NO DIÁRIO NA ESCOLA

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Matéria sobre quadrinhos e internet no Jornal da Tarde (Salvador/BA)

A Tardinha 10.11.12 Central

Tem uma citação minha, mas o estranho é que o jornalista me colocou (Natania) como sendo da UFJF, mas eu apenas estudei lá, não tenho vínculo com a Universidade. Clique na imagem para ampliar!

sábado, 10 de novembro de 2012

Wolverine, o filme: entrevista com o Hugh Jackman e o diretor James Mangold




Eu sou fã do personagem, sou fã do ator, também, mas porque ele encarna o personagem com maestria. A gente tem que reconhecer que a franquia de filmes dos X-Men deve muito do seu sucesso ao personagem Wolverine. O próximo filme estreia em julho do ano que vem e acredito, pelo que eu vi na entrevista, que vai atrair muitos fãs que ainda não leram os quadrinhos.

Wolverine é, para mim, um dos personagens mais complexos dos quadrinhos da Marvel e um dos que consegue cativar os leitores de várias formas, seja pela sua sensibilidade combinada com uma forma muitas vezes brutal de enfrentar os desafios, seja pela dramaticidade que envolve suas relações pessoais. Enfim, ler Wolverine pode trazer a tona, emoções, sensações e também muita informação, principalmente nas sagas mais antigas (minhas preferidas).

Assistam a entrevista. Ela está legendada e situa o leitor e/ou fã do personagem dentro do universo que será abordado no filme.

Aproveito para lembrar que temos muitas revistas do personagem na gibiteca, inclusiva a saga que inspira este filme (e que eu já li, claro).

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

A Revista em Quadrinhos Alagoas Sequencial é a primeira publicação do gênero a ser lançada comercialmente no estado

A depender do grau de informação e da criatividade do autor, as histórias em quadrinhos podem constituir uma das mais completas formas de expressão artística. Mídia que desde os primórdios atinge um público amplo, no Brasil a arte sequencial conquistou crianças e adolescentes numa época em que não havia tantas opções assim de entretenimento – só para lembrar, nas duas primeiras décadas do último século nem as velhas séries das matinês de cinema eram uma realidade comum. De revistas como a pioneira Tico-Tico aos suplementos dominicais dos periódicos até as sofisticadas graphic novels, as HQs ampliaram cada vez mais seu espaço, atingindo um público leitor adulto, aberto a novas formas de linguagem.

A identificação da arte sequencial como mero entretenimento infanto-juvenil, contudo, persiste, e faz a expressão ser alvo de preconceitos de quem a enxerga como cultura “inferior”. Em contrapartida, certa vez o semiólogo italiano Umberto Eco afirmou que somente quando o estudo das HQs tivesse superado o estágio hermético e o público “culto” resolvesse dar-lhes a mesma atenção que oferece à ópera e a outras manifestações culturais “elevadas” é que seria possível entender sua importância.

LEIA MAIS, CLICANDO AQUI!

Lançamento da revista “PIADAS DO FIM DO MUNDO” na Comix Book Shop

A revista “Piadas do Fim do Mundo” (“Picles” 02) é uma ideia coletiva da Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP) em conjunto com a editora Laços. A associação foi criada em 1984, visando reunir e defender os autores nacionais de quadrinhos, cartuns, charges e ilustração que insistem em publicar sua arte em nosso diminuto mercado editorial.

O lançamento da revista “Piadas do Fim do Mundo!” (“Picles” #02) será realizado na livraria Comix Book Shop no dia 10/11, sábado, a partir das 14hs, na Alameda Jaú, 1998, próximo ao metrô Paulista, com a presença dos autores para uma tarde de autógrafos e de muito bate papo.
  
Saiba mais, clicando aqui!

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Fotos atualizadas da Gibiteca

Como prometido, fotos atualizadas da nossa Gibiteca. Estão um pouco desfocadas, mas dá pra dar uma ideia das mudanças desde o ano passado. Para ampliar é só clicar nas imagens!









HQ sobre o folclore nacional em O Curupira e o Caçador

O que acontece quando um corajoso índio caçador se depara com a lenda que protege a floresta?

A HQ O Curupira e o Caçador é uma adaptação do conto indígena traduzido por Barbosa Rodrigues na obra Poranduba Amazonense.

Adaptada pelo ilustrador e quadrinhista Elton Carlos, a HQ está à venda nas versões simples (formato A5, 56 páginas, R$ 38,44) e especial (formato A5, 72 páginas, R$ 44,25).
Confira outras informações e um trailer sobre a obra clicando aqui.

PUBLICADO NO UNIVERSO HQ

Novos lançamentos da Turma do Xaxado

A Editora Martin Claret lançou três novos livros da Turma do Xaxado, personagens de Antonio Cedraz.
 
O Melhor Amigo é uma seleção de tirinhas falando sobre livros e leitura, com 48 páginas.
 
Imaginação e Outras Histórias é relançado em uma edição ampliada, com mais páginas e mais histórias sobre temas educativos como economia de água, educação, esportes, drogas, saúde, direitos das crianças e outros.
 
Por fim, 1000 Tiras em Quadrinhos também ganha uma reedição, recontando várias das histórias clássicas do personagem.
 
Todos já estão disponíveis nas melhores livrarias.

Antônio Luiz Ramos Cedraz nasceu em Miguel Calmon (Bahia), mas cresceu e formou-se professor primário em Jacobina, no interior da Bahia, onde teve os primeiros contatos com as histórias em quadrinhos. Ao longo dos anos, Cedraz criou vários personagens e teve seus trabalhos publicados nos principais jornais da capital baiana e de outros estados, além de revistas lançadas por editoras de todo o país. Recebeu vários prêmios  HQMix, além de um Prêmio Angelo Agostini na categoria Mestre do Quadrinho Nacional.
 
POSTADO NO HQ MANIACS

“O Idiota” de Dostoievski, adaptado para os quadrinhos por André Diniz

Autor de Ato 5, Morro da Favela, e A Cachoeira de Paulo Afonso, André Diniz, esta produzindo mais um trabalho grandioso em seu currículo, esta adaptando para os Quadrinhos o livro “O Idiota” do escritor Dostoievski.
 
Um material de quase 700 páginas e mais de 140 anos do escritor. Sem texto.
Em comentário sobre a obra para o site Omelete, o autor diz: “Eu me apaixonei pelo livro, embora ele seja bem verborrágico em muitos momentos, e decidi fazer uma adaptação diferente. A HQ vai no caminho oposto daquele no qual a obra é escrita: serão mais de 300 páginas sem texto, com cores expressionistas e cenários minimalistas. Foi a forma que eu encontrei de me aproximar daquela essência do personagem que tanto me fascinou”.

A obra que ainda está em produção e só fica pronta em 2013. Mas já é possível conferir um pouco do material que estão sendo colorizados por  Marcela Mannheimer, parceira de trabalho em Negrinho do Pastoreio.
A adaptação de O Idiota está sendo produzido visando o mercado francês. A Des ronds dans l’O, que editou e está animada com a repercussão de Photo de la Favela – que registra aqui -, está sendo porta voz de Diniz por lá. Por enquanto também não há editora no Brasil.

POSTADO NO ZINE BRASIL

domingo, 4 de novembro de 2012

Ganhamos um expositor para colocar revistas

Ganhamos neste fim de semana um expositor de livros para a gibiteca. No lugar de livros, colocaremos revistas, claro. Foi uma oferta da PAPELARIA CENTRAL, que aliás sempre colabora com a nossa gibiteca. 

Ainda não levei para a escola, mas pelas minhas contas vamos poder colocar mais de 1200 revistas nele. Vai ser uma economia enorme de espaço, sem falar que as revistas vão ficar melhor acomodadas. 

Agradecemos muito! Em breve, colocaremos fotos com o expositor cheio de revistas. Além disso, final de ano, temos que atualizar as imagens da nossa gibiteca, pois muita coisa já mudou de fevereiro até agora.

sábado, 3 de novembro de 2012

Divulgadas as HQs selecionadas no Programa Nacional Biblioteca da Escola - PNBE

Na última segunda-feira, 29 de outubro, foi divulgado pelo Ministério da Educação, por intermédio da Secretaria de Educação Básica, o acervo com 360 obras selecionadas para o Programa Nacional Biblioteca da Escola - PNBE para 2013. 

As obras serão distribuídas, conforme edital, para 85.200 escolas públicas federais e das redes de ensino municipais, estaduais e do Distrito Federal. 

Desenvolvido desde 1997, o programa objetiva promover o acesso à cultura e o incentivo à leitura nos alunos e professores, por meio da distribuição de acervos de obras de literatura, de pesquisa e de referência. 

Confira abaixo as histórias em quadrinhos selecionadas este ano, clicando aqui!

Quadrinhos invadem a Feira do Livro de Porto Alegre neste sábado

Sábado (3), a 58a Feira do Livro será palco de um evento paralelo especial, o VII Mutação: quadrinhos, fanzines e cultura pop. Uma parceria entre o grupo Quadrante Sul e a Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), o Mutação começa às 9h e vai até às 20h, com atividades variadas na Casa do Pensamento, Cais do Porto. Neste dia, a temática da Feira que acontece em Porto Alegre se concentra nas histórias em quadrinhos (HQs) e promete muitas atrações diferenciadas.

A organização do evento deste ano está a cargo, pela primeira vez, do grupo Quadrante de Sul, que tem entre seus membros Denilson Rosa dos Reis e Alexandre Fontoura Doeppre. Eles assumiram a responsabilidade de trazer para a praça da Alfândega a tradição dos quadrinhos. Além de proporcionar um ambiente para o pessoal aficionado, o Mutação também é uma forma de reunir as pessoas para falar desse mundo.

Segundo Reis, a montagem do evento é uma loucura: “Foi uma surpresa para nós, fomos convidados para constituir um cronograma, e, a cada dia, é uma mutação mesmo.” Mais calmo, Doeppre afirma que, este ano, serão muitas as novidades. “Teremos quadrinistas que realmente representam a área, não são profissionais com editoras comerciais por trás. Vamos trazer ilustradores do meio alternativo”, ressalta.

Durante a manhã de sábado será oferecido o TelaHQ, com debates sobre as séries Doctor Who e Supernatural. Logo depois, Gelson Weschenfelder, palestra sobre heróis e apresenta seu livro: Filosofando com os super-heróis (Mediação). À tarde, a Liga Comics, fã clube da Marvel/DC, garante a participação de convidados especiais.

Especialistas como Henry Jaepelt, Law Tissot, Gervásio Santana e Romir Rodriguez falarão sobre o segmento europeu, no bate-papo Outros Quadrinhos. A oficina de fanzine, promoção da Quadrante Sul, encerra a programação desta edição.

Quadrante Sul e o mercado editorial

A revista, que completa 25 anos em 2013, passou por reformulações em 2009. “Está mais elaborada, mais bem apresentada”, conta Reis. Doeppre explica que o grupo investe cada vez mais em novas tecnologias. Ele é tecnólogo em química, mas decidiu exercer no design gráfico, função que desempenha na Quadrante Sul. Reis é formado em história e escreve sues próprios fanzines.

Atualmente, eles relatam, o processo produtivo é mais fácil. “Nas décadas de 1980 e 1990, publicações independentes eram todas em xerox”, esclarecem. O barateamento do custo de fabricação é uma das razões pelas quais os HQs se disseminaram pelo mundo. Porém, isso causou impactos divergentes nos colecionadores, conforme explica Doeppre: “A coisa está muito elitizada. Dá saudade daquela época que a gente ia na banca e com 10 reais comprava vários gibis.”

Reis pondera: “Tem que olhar os dois lados, o do colecionador e o do artista. Ficou mais caro colecionar, no entanto, para quem produz, abriu-se um novo nicho.” Eles lembraram que, no Brasil, inclusive o Governo vem investindo no meio como forma de educação, liberando verbas para produção de HQs dos clássicos da literatura.

Quanto a proposta transmidiática que se instaura mundo a fora, eles comentam que pode ser uma maneira bem útil de divulgação das narrativas. Doeppre diz que muitos seriados acabaram por acrescentar elementos e enriquecer os quadrinhos.

“A própria Marvel está reformulando seus super-heróis para o cinema. Para os norte-americanos, isso é uma indústria”, ressalta Reis. Ambos lamentam que o mercado brasileiro ainda não atingiu o mesmo nível do exterior. “Se o país fosse mais forte nessa área, existiriam quadrinhos das novelas”, brincou Doeppre.

A revista Quadrante Sul pode ser conferida durante o VII Mutação. Uma mostra das edições ficará exposta no hall de entrada da Casa do Pensamento, no mesmo local.

PUBLICADO NO JORNAL DO COMÉRCIO

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Voce leu? Gostou? Compartilhe com outras pessoas: faça uma doação para a GIBITECA

É isso aí, estamos novamente pedindo doações para nossa Gibiteca. Sabe como é, mais uma ano de intenso trabalho e mais um ano em que nossos alunos podem ler mais gibis e se interessarem mais por diversos assuntos, ficarem mais a vontade para soltar a criatividade e valorizar ainda mais nossa querida escola. Mas quadrinhos não duram pra sempre, então, precisamos estar constantemente renovando nosso acervo, principalmente de quadrinhos infantis, que são o que tem mais saída pois são muito usados no Ensino Fundamental I.

Este anos estaremos fechando os nossos empréstimos a partir do do 05 de novembro. A Gibiteca continuará funcionando, é claro, mas agora estamos por conta de recolher as revistas que foram, reformar as que podem ser reformadas e descartar as que estão fora de uso ( mas temos um projeto de reaproveitamento de quadrinhos que irá se apoderar destas revistas, então, elas ainda tem muito a oferecer).

Por isso estamos aqui pedindo novamente a colaboração de todos. Aceitamos revistas em qualquer estado de conservação. Nós reformamos se for preciso. Sua revista está sem capa? Não tem problema, arrumamos uma capa para ela. Você tem poucas revistas? Sem problema, aceitamos qualquer quantidade, uma revista faz a diferença.

 Quando você fizer sua faxina de final de ano e encontrar algumas HQs que já leu e não pretende ler mais, lembre de nós. Dê uma passadinha na nossa escola, conheça nossa Gibiteca, Sua revista vai fazer diferença para nossos alunos.

Nosso endereço é:
Escola Municipal Judith LIntz Guedes Machado
Av. dos Expedicionários, s/n, Jardim Bela Vista, Bairro Bela Vista
Leopoldina (MG)  Cep. 35700-000 
tel (32) 3694 4269 
A/C Prof. Natania Nogueira.

Aguardamos sua visita e sua doação!





Livro Os Zeróis resgata cartuns e comemora 80 anos de Ziraldo

No início da década de 1940, em Caratinga/MG, o menino Ziraldo desenhava os próprios gibis. Muitos deles eram protagonizados pelo super-herói espacial Capitão Tex, saído da fértil imaginação do futuro artista. 

Mais de 20 anos depois, em plena ditadura militar, o jovem Ziraldo publicaria uma série de cartuns - os Zeróis - nos quais os poderes de Superman, Batman e companhia se mostravam em irônico descompasso com a revolução comportamental dos anos 1960.
Os Zeróis ressurgiram em 2010 como tema de telas que revelaram um Ziraldo pintor. As obras fizeram parte da exposição Zeróis - Ziraldo em tela grande, que passou pelo Rio de Janeiro e por Brasília. 

Toda essa trajetória é resgatada com o lançamento de Os Zeróis (formato 22,3 x 30 cm, 256 páginas, R$ 59,90), livro ilustrado com reproduções de trabalhos publicados originalmente em Fatos e Fotos, Jornal do Brasil, Pasquim, além de um capítulo reservado exclusivamente para as onomatopeias com o grafismo e o colorido típicos de Ziraldo. 

O texto assinado pela roteirista Maria Gessy, que há anos trabalha com o autor, descreve e reflete o contexto em que as obras foram produzidas. E o próprio Ziraldo assina as legendas que fornecem informações adicionais e comentam o processo criativo de cada cartum, quadrinho, tela ou esboço. 

A obra é um lançamento do selo Globo Livros Graphics, da Editora Globo.

PUBLICADO NO UNIVERSO HQ

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Maluquinho pelo mundo mostra curiosidades e culturas dos cinco continentes

Ele foi criado há mais de 30 anos. Alegre, sapeca e imaginativo, o Menino Maluquinho é a criança que todos fomos - ou deveríamos ter sido - um dia. 

Esse caráter universal não passou despercebido pelo criador do personagem, o escritor e cartunista Ziraldo, que lança Maluquinho pelo mundo (formato 19 x 27,5 cm, 112 páginas, R$ 32,00), no qual apresenta versões estrangeiras do pequeno herói. 

No livro, Maluquinho usa a internet para entrar em contato com seus pares mundo afora. E é por meio de animados chats que ele conhece e apresenta o angolano António Maluco, o argentino Pibe Piola, o egípcio Mahlu Al Kim, o francês Petit Fou, o indiano Malukesh, o mexicano Loquito, só para citar alguns. Assim como o garoto brasileiro, todos têm uma turma bem animada e vivem aprontando confusões. 

As histórias são ambientadas em países dos cinco continentes - uma oportunidade de introduzir o leitor a uma diversidade de cenários, costumes e culturas. 

A obra é um lançamento da Editora Globo.

PUBLICADO NO UNIVERSO HQ