sábado, 18 de outubro de 2014

Alunos do Cemti lançam história em quadrinhos “O Imortal”

Durante cinco meses, alunos do Centro de Ensino Médio de Tempo Integral - Cemti Didácio Silva se encontravam aos sábados para participar da oficina de quadrinhos ministrada pelo quadrinista Bernardo Aurélio. Como fruto dessa oficina, nasceu a adaptação da obra de Machado de Assis, "O Imortal".

“Selecionamos alunos com aptidão para o desenho que se interessassem pelo projeto. Na oficina, foi ensinada a linguagem dos quadrinhos. Todos leram a obra e a adaptamos para os quadrinhos”, conta Bernardo. Ainda segundo ele, essa iniciativa trouxe três ganhos, pois os alunos “tiveram contato com Machado de Assis; aprenderam uma nova linguagem e ainda publicaram o seu primeiro livro”.

O Secretário de Educação, Alano Dourado, que esteve presente no lançamento da História em Quadrinhos (HQ), disse que não tem como mensurar iniciativas como essa. “Esse tipo de projeto contribui no incentivo a leitura, como foi o caso dessa obra de Machado de Assis. A Seduc (Secretaria da Educação e Cultura do Piauí) contribuiu com a impressão e a parte gráfica do projeto”, explica do secretário.

De acordo com o professor Patrício Oliveira, idealizador da oficina, o objetivo dessa iniciativa foi de “estender o interesse dos alunos pela leitura e pelos autores clássicos do Brasil, além de incentivar a produção de Histórias em Quadrinhos”.
Já Sâmia Suenne, uma das alunas que participou da oficina, diz que “tinha uma noção de desenho. Na oficina fizemos esboços, cada um trouxe o seu jeito de desenhar. Agora já publicamos um livro e pretendo continuar desenhando”, completa.

A HQ foi lançada na manhã desta terça (14), no Cemti Didácio Silva, zona sudeste de Teresina, com apoio da Seduc e do Núcleo de Quadrinhos.

O Imortal
O conto “O Imortal”, de autoria do escritor brasileiro Machado de Assis, foi lançada em 1882 como sendo continuação de “Rui Leão”, publicado dez anos antes. A narração conta a história d o Dr. Leão que ganhou a imortalidade ao beber um elixir. A imortalidade trouxe para Rui Leão muitas aventuras, mas também muita dor.

Retirado do Capital Teresina

Obras de importantes filósofos ganham versões em quadrinhos

Se alguém contar, em uma conversa, que leu uma peça de Shakespeare em quadrinhos, ouvinte nenhum se espantará demais. Afinal, as obras do dramaturgo inglês têm roteiro elaborado, repleto de personagens e conflitos que podem ser bem retratados em imagens. Mas, se o autor em questão for um filósofo que escreveu livros cheios de conceitos complexos e reflexões teóricas, é bem possível que a surpresa seja maior.

É isso, porém, que está acontecendo com livros de autores teóricos, como Friedrich Nietzsche, Sigmund Freud e Jean-Jacques Rousseau, entre outros nomes consagrados. Tratados, artigos e reflexões desses pensadores ganharam adaptações em narrativas gráficas nos últimos tempos e chegaram às lojas brasileiras em coleções como Clássicos em mangá, que lançou, até agora, cinco obras do mundo acadêmico.

Para o professor Vinicius Rodrigues, pesquisador sobre quadrinhos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), as HQs são um campo de atuação vasto que não precisa se limitar a trabalhos de narrativa mais comum. No entanto, o especialista reconhece que levar o texto teórico a esse suporte é um obstáculo. “Parece-me que, nesse caso, estaríamos lidando com a mesma dificuldade da adaptação cinematográfica caso o filme não fosse um documentário”, compara.

Os clássicos publicados pela coleção traçam o percurso apontado pelo professor. Acrescentam personagens e histórias que estão ausentes na obra original. Responsável pelas publicações, o tradutor Alexandre Boide acredita que essas mudanças podem facilitar o entendimento dos textos. “O leitor pode compreender de forma mais vívida o tipo de sofrimento humano que estimulou o surgimento dessas ideias, e também seu potencial efeito sobre a vida das pessoas”, esclarece.

Clássicos em mangá
Coleção com quadrinhos adaptados de textos teóricos de importantes pensadores. LP&M, cinco volumes, R$ 17,90 (a unidade). 

Retirado do UAI

O Diário proporciona entretenimento e informação na sala de aula

Muitas vezes, a paixão pela leitura começa pelas histórias em quadrinhos (HQs) por ser um tipo de texto que torna o ato de ler mais divertido, já que apresentam, além das falas, desenhos que representam as ações dos personagens. Mas a leitura é apenas uma das possibilidades para se trabalhar a HQ, pois os quadrinhos oferecem inúmeras maneiras de exploração. São materiais que permitem a reflexão, a criação, a produção e até a interpretação textual.

Depois de participar da capacitação oferecida pelo Diário na Escola sobre como trabalhar a HQ a partir da notícia do jornal, a professora Joana de Lourdes Contieri que leciona na Escola Municipal São Jorge, em São Jorge do Ivaí, colocou em prática a teoria adquirida durante a formação e garante, “os resultados foram ótimos.”

“Meu objetivo foi despertar o interesse pela leitura a partir dos textos de circulação social. De forma livre, cada aluno escolheu uma manchete que mais chamou atenção e, em seguida, realizou uma produção textual que compôs a narrativa da HQ”, destaca Lourdes.

A coordenadora pedagógica, Elisabete Sampaio conta que nesta atividade, em especial, foi perceptível o entusiasmo das crianças. “O estudo deste gênero envolve a criatividade e os desenhos, isso reflete no interesse pela proposta.”

O aluno Kauã Moura comenta sobre o quanto o jornal auxiliou durante a produção. “As notícias do Diário nos ajudaram no momento em decidir o assunto da história a ser desenvolvida.” E a colega Akemyla Bortolucci Ventureli completa, “pude usar minha imaginação e com a leitura das matérias ainda aumentei meu conhecimento sobre os fatos que são destaque no impresso.”

Com a oportunidade em escolher o tema, a professora relata que houve maior atração pela leitura. Desta forma cada estudante se direcionou para o caderno que mais se identifica. “Este é um processo que tem contribuído muito no aprendizado das crianças, pois elas sentem prazer no que estão fazendo.”

Assim como foi aconselhando pelas ministrantes da formação oferecida pelo Diário na Escola, Lourdes solicitou que primeiramente os estudantes escrevessem a narrativa, para em seguida desenvolverem os quadrinhos com as falas e os desenhos dos personagens. “O interessante do passo-a-passo da HQ é que o aluno vai tendo a ideia de que um trabalho com escrita deve ser planejado, sim. Primeiro, se pensa num enredo para a história antes de produzi-la. Também se calcula o espaço para os desenhos e textos verbais, o espaço do texto não verbal deve ser observado por último. Essas orientações de sequencias do que se deve fazer são importantes para direcionar a criança a fim de mediar essa produção com qualidade”, ressalta a professora mestre, Maísa Cardoso.

Lourdes relata que por ser a primeira atividade com o gênero, os estudantes sentiram dificuldades durante a proposta, mas com orientações o resultado foi muito bom. “Me senti realizada ao término do trabalho, as crianças se empenharam bastante e percebi o quanto os exemplares do Diário estão contribuído no processo de ensino-aprendizagem”, conclui.

Retirado do "Diário na Escola"

domingo, 12 de outubro de 2014

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Comic Con Experience - Brasil

A primeira edição da CCXP – Comic Con Experience ocorre de 4 a 7 de dezembro no Imigrantes Exhibition & Convention Center. Trata-se do primeiro evento no Brasil nos moldes das comic cons realizadas em diversas partes do mundo, que reúnem fãs e profissionais de quadrinhos, cinema, TV, games, animes, RPG, memorabília e colecionáveis para conhecerem as últimas novidades dessas áreas em uma grande celebração do universo geek e da cultura pop. O primeiro lote de ingressos esgotou rapidamente e um segundo lote já está à venda no site: www.ccxp.com.br, onde também é possível acompanhar os próximos anúncios de atrações e de artistas convidados do evento.


CCXP – Comic Con Experience
Data: 04 a 07 de dezembro de 2014
Local: Imigrantes Exhibition & Convention Center – Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo/SP
Horários:
04/12 (quinta-feira): 12h às 22h
05/12 (sexta-feira) e 06/12 (sábado): 10h às 22h
07/12 (domingo): 10h às 20h

Trecho retirado do Impulso HQ

Festival Guia dos Quadrinhos acontece em São Paulo, no próximo final de semana

O Festival Guia dos Quadrinhos divulgou a programação completa do evento, que ocorrerá nos dias 11 e 12 de outubro, na Associação Beneficente Osaka Naniwa Kai (Rua Domingos de Moraes, 1581), em São Paulo/SP.

Haverá diversas atrações: mercado de pulgas com venda e trocas de HQs e colecionáveis, cosplay, exposição com artes originais de Flávio Luiz e também uma mostra sobre o Demolidor, palestras sobre mangás, super-heróis, quadrinhos independentes, Turma da Mônica e os 80 anos do Pato Donald,  com a participação de vários profissionais do mercado.
Confira os palestrantes e a programação completa no site oficial do evento.

Publicado no Universo HQ

Curso de Quadrinhos no Odylo Costa agora em Outubro

O Centro de Criatividade Odylo Costa Filho está oferecendo 20 vagas para um Curso De Tiras de Quadrinhos e Arte Sequencial que começa no dia 13 de outubro.

A proposta do produtor cultural Adriano Leonardo Lima, que organiza o Curso é promover ao aluno uma experiência na produção de quadrinhos em 3 etapas: PESQUISA, PRODUÇÃO e PUBLICAÇÃO ao longo de 20 encontros presenciais que estarão divididos entre aulas teóricas e exercícios práticos para elaboração de Tiras em quadrinhos.

O resultado das produções dos alunos será editada em uma obra coletiva, com distribuição em formato impresso e digital que será lançada em celebração ao Dia do quadrinho nacional em janeiro do ano que vem.

As aulas começam no dia 13 de outubro e serão realizadas todas as segundas e quartas, somente no horário vespertino:de 15h às 17h.

Além das 20 vagas para o Curso Presencial, estão disponíveis 10 vagas para participação do curso de quadrinhos à distância,onde o aluno terá acesso ao conteúdo do curso pela internet participando integralmente da obra coletiva.

Quem quiser participar do Curso de forma presencial,deve realizar a sua inscrição no Centro de Criatividade Odylo Costa Filho (fone: 3218 9932)

O investimento total do curso é de R$ 120,00. Em duas parcelas de R$ 60,00. (outubro e novembro). As inscrições para o curso à distância são requisitadas pelo email: editorabezalel@gmail.com ou pelos telefones: (98) 9970 0403 ou (98)8130 0036falando com Adriano Lima.
Para mais informações procure a fanpage BEZALEL.

SERVIÇO:Curso De Tiras de Quadrinhos e Arte Sequencial
QUANDO:13 de outubro de 2014
HORÁRIO:toda 2ª e 4ª feira das 15h às 17h
ONDE:Centro de Criatividade Odylo Costa Filho no Reviver ao lado do Shopping do Cidadão e próximo ao Terminal de Integração da Praia Grande – Centro de São Luís.
INVESTIMENTO:R$ 120,00. ( Em duas parcelas de R$ 60,00 )
INSCRIÇÕES: no local
VAGAS: 20 VAGAS presenciais e 10 VAGAS à distância(*)
CARGA HORÁRIA : 24h / aula.
CONTATOS: Centro de CriatividadeOdylo Costa Filho (fone: 3218 9932)
(*)Vagas à distância solicitadas pelo e-mail:editorabezalel@gmail.com
ou ligando para (98) 9970 0403 ou (98)8130 0036 falando com Adriano Lima.
FACEBOOK: facebook.com/pages/Bezalel/391820387564508

Publicado no Zine Brasil

sábado, 4 de outubro de 2014

7º Festival Internacional de Histórias em Quadrinhos de Argel homenageia o Brasil

A Mauricio de Sousa Produções tem apresentado seu acervo para o mundo. Após a abertura de exposição na Coréia do Sul no início do mês de setembro (12 a 19/9) no Brazilian Festival no Marrionier Park, Daehae-ro – Seoul, a obra do desenhista brasileiro, Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica, participou também do 7º Festival Internacional de Histórias em Quadrinhos de Argel (23 A 27/9). 

Outros artistas brasileiros estiveram presentes ao evento - Bira Dantas, Gabriel Bá, Fábio Moon, Ana Luiza Koehler e André Diniz. 

Com várias imagens das diversas fazes de sua carreira chegando até aos Quadrões, inspirados em quadros clássicos de pintores famosos, Mauricio de Sousa foi o grande homenageado.

Jacqueline Mouradian, curadora das exposições, considera que ao mesmo tempo essas exposições são fonte de conhecimento e troca cultural, importantes para o reconhecimento do Brasil na área dos quadrinhos e artes gráficas entre as nações.

Com a boa repercussão desses eventos culturais, outros países poderão receber a exposição do artista em 2015.

Legenda: Ministra da Cultura da Argélia, Nadia Labidi; Embaixador do Brasil em Argel, Eduardo Botelho Barbosa; e o Francês Laurent Melikian, um dos organizadores do Festival – Escritor e crítico de Historias em Quadrinhos.

PUBLICADO NO MAXPRESS

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Alunos da Escola Ana Libória reproduzem romance em história de quadrinhos

Capa de uma das edições do livro

Experiência fantástica, e que deve ser reproduzida em outras escolas.

 *******

Ao perceber que a literatura clássica não atraia os alunos para leitura, a professora de Língua Portuguesa Marilene de Carvalho, da Escola Estadual Ana Libória, em parceria com o Programa Institucional de Bolsa Iniciação à Docência (PIBID), subprojeto Letras Literatura, da Universidade Federal de Roraima (UFRR), desenvolveu a Literatura em Histórias em Quadrinhos (HQs) de narrativas brasileiras.  

 Os estudantes desenvolvem apresentações de teatro em fantoches, teatro-mudo e convencional, e agora a literatura em HQ. “A ideia inicial era procurar uma atração para fazer com que esses alunos se interessassem em ler os clássicos e percebi que os gibis despertam esse interesse maior”, afirmou Marilene.  

 

A história “A Moreninha”, escrito por Joaquim Manoel Macedo, romancista, foi transformada em HQ, ilustrada a mão pelos alunos do 2º ano do Ensino Médio, turma 201. De acordo com a professora, desde o início do projeto houve um crescimento no rendimento da disciplina, cerca de 80% das notas melhoraram. “O objetivo foi alcançado, mas não pararemos por aqui. Em novembro faremos apresentações no aniversário de Eça de Queiroz”.  

 

  “Para que eles pudessem ilustrar a história, precisaram se aprofundar na leitura”, disse. O resultado foi apresentado na escola estadual Tancredo Neves, na última sexta-feira (26), com encenação teatral. “Fizemos um intercâmbio cultural”, ressaltou.  

 

 A MORENINHA
A obra escrita por Joaquim Manuel de Macedo, em 1844, é considera a primeira e principal do romantismo romântico brasileiro. Narra, em terceira pessoa, em forma de diálogos, a história de um grupo de amigos numa ilha do Rio de Janeiro. O namoro impossível, a vida de estudantes, a dúvida e os sentimentos são traçados fortes ao longo do enredo.

Publicado no BV News

Funesc inscreve para laboratório de quadrinhos para iniciantes

A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) está com inscrições abertas para sua primeira turma de Laboratório de Quadrinhos para Iniciantes. As aulas serão ministradas por Thaïs Gualberto, com limite de 12 vagas por turma. Os interessados podem escolher entre três opções de datas – outubro, novembro e dezembro. As inscrições são gratuitas.

Para se inscrever, é preciso preencher o formulário disponível no link http://bit.ly/YBwiV0 ou http://goo.gl/D7CPlP. As aulas ocorrerão sempre às segundas-feiras, das 15h às 17h, no Auditório 3, Mezanino 2 do Espaço Cultural José Lins do Rego, em Tambauzinho. Mais informações podem ser solicitadas pelo e-mail funesc.quadrinhos@gmail.com.

As aulas de outubro serão nos dias 6, 13, 20 e 27. As datas de novembro são 3, 10, 17 e 24 e quem optar pelo mês de dezembro terá aulas nos dias 1, 9, 15 e 22.

Conteúdo - As atividades escolhidas para a programação de quadrinhos serão desenvolvidas para estimular a criação artística na área, assim como propor discussões relevantes sobre esta arte. O fio condutor será um laboratório de quadrinhos, com encontros semanais, onde ao fim de quatro encontros os participantes deverão apresentar uma história em quadrinhos de sua autoria.

A oficina visa apresentar e experimentar junto aos alunos com pouca ou nenhuma experiência na produção de quadrinhos. A intenção não é ensinar a desenhar, mas faze-los descobrir qual a melhor maneira de utilizar o potencial que já possuem e introduzir novos elementos para produzir seus próprios quadrinhos. As aulas acontecerão uma vez por semana, para que seja um processo contínuo e os alunos tenham tempo para produzir os exercícios solicitados.

A proposta é fomentar a produção de quadrinhos no Estado, bem como criar espaços de discussão sobre temas relevantes da área. A partir desse primeiro contato, se pretende disponibilizar um ambiente de aprendizado para desenhistas, quadrinistas e aspirantes da Paraíba.

Serviço:
Laboratório de Quadrinhos para Iniciantes
Inscrição por meio do formulário disponível no endereço: http://bit.ly/YBwiV0
Aulas: segundas-feiras, das 15h às 17h
Local: Auditório 3 (Mezanino 2) do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa (PB)
Opções de datas: Outubro: 6, 13, 20, 27 / Novembro: 3, 10, 17, 24 / Dezembro: 1, 9, 15, 22
Inscrições gratuitas
Informações pelo email: funesc.quadrinhos@gmail.com

Publicado no Paraíba Total

Obra-prima de Tolstói ganha adaptação em quadrinhos

Filão de mercado bastante rentável às editoras, as adaptações de clássicos da literatura para os quadrinhos não dão sinal de enfraquecimento, chegando com rara regularidade às livrarias. Uma das mais recentes é A Morte de Ivan Ilitch, uma das principais obras de Liev Tolstói.

Quem sabe qualquer coisinha de literatura russa tem consciência do peso, da dificuldade da tarefa. Literatura russa em geral - e Tolstói em particular - não são para principiantes.

Seus textos são densos, extensos e apontam para diversos níveis de leitura, além de, como no caso de  A Morte de Ivan Ilitch, tratarem de temas da pesada. Neste caso, da morte.

Delegada ao quadrinista Caeto (paulista de Assis), a adaptação atinge resultados até melhores do que seria de se esperar, dada a dificuldade.

Considerada pelo cânone literário como a novela mais perfeita da literatura mundial, A Morte de Ivan Ilitch (1886) é obra de destaque em meio aos outros trabalhos de Liev Tolstói (1828-1910), um sujeito que escreveu "apenas" alguns monumentos da cultura universal, como Guerra e Paz (1869) e Anna Karenina (1877).


Em Ivan Ilitch, Tolstói narra a história do personagem título: um sujeito comum, juiz de instrução bem-sucedido, que cai enfermo e, de um dia para o outro, vê-se definhar e morrer aos poucos.


Enquanto agoniza, deitado em seu quarto, Ivan rapassa toda a sua vidinha medíocre de burocrata e se confronta com o fato de que vai morrer - e até com a própria ideia de morte. Como já se disse, uma leitura "leve" para o fim de semana.


Perturbadora, a narrativa de Tolstói se passa quase que inteiramente na mente de Ivan Ilitch, que, apesar de ser um homem de família, casado e com filho, vê-se solitário na escuridão do seu quarto, remoendo suas memórias e dando-se conta de sua insignificância.

Continue lendo, clicando aqui!

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Faculdade americana vai oferecer curso sobre os filmes da Marvel!

Faculdades americanas já oferecem estudos de cerveja e bolsas de videogame, mas a Universidade de Baltimore está adicionando a mais recente adição a uma lista crescente de regalias das artes liberais: a classe em filmes da Marvel.

O curso, oferecido na primavera, vai se concentrar em mostrar como filmes como Homem de Ferro, Thor, Capitão América e Guardiões da Galáxia,  lançam uma visão sobre a cultura moderna. O curso irá analisar a forma como a história de heroísmo e aventura tem gerado grandes  franquias para a Marvel Studios, bem como o motivo para que os espectadores sejam tão atraídos por seus filmes.
“Uma coisa que vamos fazer é mergulhar no impacto do filme  Guardiões da Galáxia , que provou duas coisas: o público de cinema mainstream não está cansado de filmes de super-heróis; e que a Marvel Studios pode agora lançar uma aventura sci-fi que apresente arvores e guaxinins falantes “, disse Arnold T. Blumberg, que irá ministrar o curso, em um comunicado de imprensa. “… a Marvel criou um universo em que os fãs aceitam completamente esses desenvolvimentos, e eles estão prontos para ainda mais.”

“Esta série de cursos não só oferece entretenimento cheio de ação, mas também declarações profundas sobre a natureza do heroísmo, as grandes responsabilidades que vem com os grandes poderes, a nossa vontade de trocar a liberdade pela segurança, e muito mais”, disse Blumberg.

O BLOG DA GIBITECA FOI LISTADO COMO UM DOS 10 MELHORES BLOGS DE EDUCAÇÃO

O site "Faculdade.net" lançou uma lista com os 10 melhores blogs educativos, e adivinha quem está lá? 

Isso mesmo! O blog da Gibiteca!!! 

Foi uma surpresa maravilhosa. Confira a matéria na íntegra, clicando aqui!

domingo, 28 de setembro de 2014

Exposição de Mafalda em São Paulo

Em dezembro, a exposição O Mundo de Mafalda chega à cidade de São Paulo.
 
São desenhos originais, réplicas de cenários, vídeos e fotografias, comemorando os 50 anos da personagem criada pelo argentino Quino, mostrando toda a sua trajetória questionando a sociedade e os hábitos humanos.
 
A exposição é parte do Circuito SP da Secretaria Municipal de Cultura e ocorrerá na Praça das Artes, na Avenida São João, 281. A entrada é gratuita.
 
Quino nasceu em Mendoza, Argentina, em 1932. Esgotado pela pressão de ter de aparecer com novas ideias toda semana, Quino decidiu parar de desenhar a Mafalda em 1973 e passar a maior parte de seu tempo em outros projetos que davam rédeas ao humor cáustico que tem sido a sua marca. Meticulosamente executados em preto e branco e finalizados com detalhes poderosos, seus desenhos enfocam as relações de poder, as desigualdades sociais e a degradação ambiental. Em resumo, todos os tipos de questões que, como ele admite, “não têm nada de engraçado”.
 
Publicado no Hq Maniacs

Prêmio Jabuti indica quadrinhistas na categoria de ilustração

Os organizadores do 56º Prêmio Jabuti, a mais importante premiação literária do Brasil, divulgou a lista de finalistas deste ano. A categoria Ilustração conta com alguns quadrinhistas que tiveram trabalhos publicados em 2013. Vários deles foram indicados por álbuns em quadrinhos lançados no último ano.

Veja quem são os indicados na categoria, e clique nos respectivos links para mais detalhes dos trabalhos.

Laerte, por Storynhas (Companhia das Letras);
Ziraldo, por Os homens tristes e outros desenhos sem destino (Melhoramentos);
José Aguiar, por Reisetagebuch – Uma viagem ilustrada pela Alemanha (Quadrinhofilia);
Alex Shibao, por Hamlet de William Shakespeare (Nemo);
Emir Ribeiro, por Fantasmagorias (Devaneio);
Caco Galhardo, por Dom Quixote em Quadrinhos – Volume 2 (Peirópolis);
DW Ribatski, por Campo em Branco (Quadrinhos na Cia.).
Outros que concorrem são Alex Cerveny (Decameron), Meire de Oliveira (Brasil – Imagens sob a ótica da artista Meire de Oliveira) e Veridiana Scarpelli (Diário da Tarde).
Para todos os indicados nas 27 categorias, visite o site oficial do prêmio.

Publicado por Samir Naliato no Universo HQ

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

JAM SESSION: O CRIME DO TEISHOUKO PRETO


O livro JAM SESSION: O CRIME DO TEISHOUKO PRETO,  é uma publicação que reúne toda uma geração de artistas brasileiros dos quadrinhos, artes gráficas e graffiti em uma única história. De norte a sul do país, dos novíssimos aos consagrados como: Adriana Melo, Alex Hornest, André Diniz, Baptistão, Danilo Beyruth, Edgar Vasques, Fabio Moon, Fernando Gonsales, Gabriel Bá, Grampá, Guazzelli, Gustavo Duarte, Guto Lacaz, Jô Oliveira, João Montanaro, Klebs Júnior, Klévisson, Laerte, Lourenço Mutarelli, Luiz Gê, Luke Ross, Marcatti, Orlando, Rafael Coutinho, Rodolfo Zalla e muitos outros.

Mais de 500 artistas brasileiros participaram juntos de uma única história em quadrinhos, feita como uma Jam Session. Sem um roteiro prévio, uma hq coletiva e sem fim; no ponto em que um desenhista termina sua página outro continua e assim por diante. Sempre mantendo as características pessoais (estilo e técnica) de cada artista, mas integrada a uma produção coletiva singular e com unidade.

Você pode apoiar esse projeto. Clique aqui e saiba mais!!
 

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

HQ A Menina Distraída fala sobre bullyng


Burra, lixo, desperdício de oxigênio, avoada, cabeça de vento.
 
Esses foram alguns dos “apelidos” direcionados a Vanessa Bencz na escola quando ela era adolescente. Ela não acreditou em nenhum deles. Descobriu aos 15 anos que é portadora do transtorno de déficit de atenção (TDAH) e por isso teve uma trajetória escolar extremamente difícil.

Vanessa é autora do blog A Menina Distraída e hoje trabalha num projeto capaz de mudar vidas. Ela percorre escolas de Santa Catarina para falar sobre bullying. Transformou seu blog num projeto de história em quadrinhos. A protagonista, vítima de bullying na escola, é salva por uma super-heroína. Todos os personagens são baseados em histórias reais, que a autora ouviu nas visitas às escolas. Foi Vanessa quem escreveu a história e ilustrou os quadrinhos.

A HQ foi financiada através da plataforma de financiamento coletivo Catarse e conseguiu arrecadar mais de R$ 20 mil. O lançamento ainda será em novembro, mas no dia 20 de outubro (dia mundial do combate ao bullying) será publicado o 1º capítulo em versão digital. Fique ligado no Catraquinha para ler a história!

Se a sua escola quiser receber exemplares de A Menina Distraída? Faça aqui o cadastro.

Retirado do Catraca Livre

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

MORREU O PAI DA TURMA DO XAXADO

Eu recebi a notícia semana passada, durante um evento acadêmico sobre quadrinhos do qual eu participava, por isso apenas hoje estamos colocando aqui uma nota sobre o falecimento de Antônio Cedraz, no dia 11 de setembro. Ele nos deixou aos 69 anos, mais uma vítima do câncer. 

Cedraz nunca veio à nossa Gibiteca, mas desde que ela foi inaugurada, em 2007 ele foi um dos nossos fiéis colaboradores. Enviava todos os anos quadrinhos da Turma do Xaxado, assim que eram lançados. Vale salientar que nossos alunos apreciam muito esse material. Seu trabalho inspirou alunos e professores, com o material bem regional, tipicamente brasileiro.

Antônio Cedraz vai fazer falta tanto como cartunista quanto como uma pessoa que incentivava e acreditava nos quadrinhos na escola.

Proibição do uso de celular em sala de aula é tema de debate em escola


Desde o começo do mês está definitivamente proibido o uso de aparelhos eletrônicos em salas de aula das escolas públicas e privadas do ensino fundamental e médio do Paraná. A nova lei vem para apoiar o que já estava no regimento das escolas. Algo que antes era só uma norma interna, agora está amparado na legislação estadual.

Em entrevista para o Diário a diretora de Ensino da Secretaria de Educação de Maringá, Mara Mello, diz que desde que foi observado que os aparelhos eletrônicos começaram a invadir o espaço escolar já havia sido iniciado um trabalho de conscientização dos alunos e da comunidade para coibir a prática em sala de aula.

A professora, Sara Ester Meneghetti leciona na Escola Municipal Pastor João Barbosa de Macedo, em Maringá, e conta que o assunto sempre foi discutido com os alunos, pois a proibição é uma das normas da instituição. “Confesso que as crianças nunca deram a importância devida ao que eu recomendava, mas no dia em que o Diário publicou a reportagem com a manchete ‘Uso de aparelhos eletrônicos é proibido por lei’ todos os estudantes ficaram curiosos em ler a notícia. A palavra ‘lei’ despertou um certo medo em quem não respeitava as normas escolares.”

Com o interesse dos alunos, Sara realizou um debate sobre o tema. “Neste momento eles puderam expor opiniões, justificar e argumentar”, comenta. A estudante Larissa Soares Rodrigues, acredita que a regra é certa, sim. “Diferente da maioria dos alunos, eu não acho que o celular vai me ajudar em sala de aula, ao contrário, com o acesso à internet nos distraímos facilmente e ficamos mais preguiçosos, qualquer dificuldade nas atividades acabamos buscando a resposta pronta em sites, isso só nos prejudica.”
“A escola é uma ambiente seguro, qualquer necessidade de comunicação com os pais das crianças, elas podem usar o telefone fixo. A proibição é válida, pois não acredito que o aluno consiga, ao mesmo tempo, prestar atenção na aula e mexer em aparelhos eletrônicos”, ressalta a supervisora pedagógica, Simone Isabel de Souza.

Produção
Depois de participar da formação do Diário na Escola sobre como construir o humor e as histórias em quadrinhos (HQ) a partir das notícias do jornal, e aproveitando que este é o gênero textual trabalhado neste bimestre, a professora solicitou às crianças que criassem charges sobre a nova lei. “Elas adoraram produzir HQ, desde que apresentei o conteúdo todo o tema que desenvolvo em sala de aula os alunos querem finalizar a uma charge, tirinha ou história em quadrinhos”, conta Sara.

“A charge é uma das partes mais divertidas do jornal, poder criar uma foi muito divertido. O interessante é que neste tipo de produção você pode fazer uma brincadeira, sem ser mal educado”, relata a aluna Vitoria Emanuelle de Souza Pereira.