quinta-feira, 10 de abril de 2014

Um conto de Páscoa com a Turma da Mônica

Que tal assistir junto com seus alunos essa história linda com aTurma da Mônica!

Revista em quadrinhos amazonense tem jabutis e quatipurus

A revista em quadrinhos ‘Maramunhã - A Guerra dos Jabutis e dos Quatipurus’ ainda está em processo de produção e captação de recursos, mas já tem propostas para compor o material didático de escolas do ensino fundamental de outras cidades.
O livro é uma adaptação do conto grego ‘Batraquimiomaquia’, de Homero, que narra a guerra entre rãs e ratos, chegando ao ponto de deuses terem que intervir. “Em ‘Maramunhã’, a guerra é entre jabutis e quatipurus, tendo como cenário a floresta amazônica”, contou o roteirista e produtor Evaldo Vasconcelos, que contou com traços do artista plástico Cristoffer Melo Ferreira.
Ele disse, ainda, que a ideia e a motivação surgiram no fim do ano passado, quando participou de uma exposição de quadrinhistas do grupo Vortex Studio Art. “Eu contei que já tinha umas histórias, mas não quem fizesse os quadrinhos. Então nós fechamos essa parceria”, relatou.
Para a adaptação, Evaldo fez pesquisas no Museu Amazônico (Musa) para definir como seriam os duelos entre os personagens, além da rotina e rituais indígenas. “Os jabutis, como não sobem em árvores, usam lanças, arcos e flechas, enquanto os quatipurus se armam com ‘bordunas’ (arma indígena) e machado de pedras”, contou.
CONTINUE LENDO, CLICANDO AQUI!

Cartilha Digital - Turma do Gabi e Capitão D Combatendo a Dengue


O cartunista Moacir Torres e a Escritora Cybele Meyer desenvolveram uma nova Cartilha Digital com a Turma do Gabi, e dessa vez o tema é “Dengue”. A turma dessa vez conta com a ajuda do Capitão D, novo Super-Herói criado por Torres, e que da uma tremenda força para o Gabi e sua turminha na limpeza e eliminando os focos que se tornam criadouros do Mosquito que transmite a doença da Dengue. Essa cartilha está disponível clicando aqui!

Turma do Xaxado: Meio Ambiente e Cidadania


Foi lançado hoje na Câmara dos Vereadores o projeto Meio Ambiente e Cidadania com distribuição de cartilha com a Turma do Xaxado, criada pelo cartunista baiano Antônio Cedraz. O evento contou com a presença do presidente de Câmara de Vereadores, vereador Paulo Câmara, do Secretário de Educação e diversas autoridades.

Antônio Cedraz produz diversas Hqs educativas da Turma do Xaxado, com os temas mais variados. Vale a pena conhecer este maravilhoso universo dos quadrinhos brasileiros. 

domingo, 6 de abril de 2014

QUADRINHOS NA EDUCAÇÃO: VÍDEO COM O PROFESSOR WALDOMIRO VERGUEIRO (USP)

Vídeo curtinho, mas que traz muitas informações. Bom para professores e alunos da área de educação.


Antônio Cedraz ganha exposição


A Biblioteca Infantil Monteiro Lobato, em Salvador, Bahia, acaba de ganhar um novo espaço permanente em suas salas.
 
A partir deste domingo, dia 6 de abril, o quadrinhista Antônio Cedraz passa a ter um espaço reservado para suas criações permanentemente aberto na biblioteca. O evento de abertura ocorrerá a partir das 10 horas. A Biblioteca fica na Praça de Nazaré, em frente ao Hospital Santa Izabel.
 
Antônio Luiz Ramos Cedraz nasceu em Miguel Calmon (Bahia), mas cresceu e formou-se professor primário em Jacobina, no interior da Bahia, onde teve os primeiros contatos com as histórias em quadrinhos. Ao longo dos anos, Cedraz criou vários personagens e teve seus trabalhos publicados nos principais jornais da capital baiana e de outros estados, além de revistas lançadas por editoras de todo o país. Recebeu vários prêmios HQMix, além de um Prêmio Angelo Agostini na categoriaMestre do Quadrinho Nacional.

Publicado no HQ Maniacs

Quadrinhos alemães ganham mostra no Instituto Cultural Germânico


Instituto Cultural Germânico – ICG de Icaraí (Avenida  Sete de Setembro 131, Niterói/RJ) apresenta no seu Espaço Galeria a exposição Quadrinhos Autorais Alemães.
A mostra, inédita no Brasil, vai reunir obras de alguns dos melhores autores de histórias em quadrinhos em atividade na Alemanha: Flix, um dos quadrinhistas mais lidos em seu país, com livros que vendem mais de 25 mil exemplares; Reinhard Kleist, cujo trabalho O Boxeador foi uma das HQs mais elogiadas em 2013; Jens Harder, famoso pelos livros Alpha e Beta, que resumem a história do universo e da humanidade.
Completam a mostra Aisha Franz e Mawil, conhecidos entre os novos autores independentes; Birgit Weyhe,  Isabel Kreitz, Ulli Lust e Tom Gaedke, artistas ainda desconhecidos no Brasil.
A exposição, que tem curadoria do quadrinhista curitibano José Aguiar (Folheteen, Quadrinhofilia) e poderá ser vista até o próximo dia 3 de maio, faz parte dos eventos promovidos pelo ICG, em encerramento ao ano Alemanha.
No dia da abertura, José Aguiar autografa o livro Reisetagebuch – Uma viagem ilustrada pela Alemanha, que estará à venda no local.
PUBLICADO NO UNIVERSO HQ

O incrível poder das histórias em quadrinhos



Ótima matéria sobre os quadrinhos como recurso de ensino, feita por Gisleine Carvalho. Leia um trechinho:

O cineasta Federico Fellini lia. O filósofo Umberto Eco é ávido consumidor e o artista plástico Roy Lichtenstein fez uso de balões com falas em algumas de suas obras. Esses artistas declararam que a leitura das histórias em quadrinhosserviu de inspiração e influenciou seus trabalhos. Há outros exemplos de personalidades que poderiam ser citadas, mas não é o propósito deste texto listar celebridades e fãs da também chamada arte sequencial. Trata-se só de uma curiosidade, já que houve um tempo em que psicólogos e educadores chegaram a afirmar que os gibis estimulavam a preguiça mental.

"Por muitas décadas, as histórias em quadrinhos foram vistas à margem do que se entende por leitura. Uma visão equivocada porque os quadrinhos são e sempre foram leitura igualmente válida", defende Paulo Ramos, professor da Unifesp e autor de vários livros sobre quadrinhos.

De fato, hoje não há mais dúvidas sobre o valor desse tipo de narrativa. Tanto que os quadrinhos são recomendados pelos Parâmetros Curriculares Nacionais e reconhecidos como uma ferramenta de alfabetização. Na visão da professora Maria Angela Barbato, da Faculdade de Educação da PUC-SP, as histórias em quadrinhos acabam sendo também um instrumento no processo de desenvolvimento da leitura e da escrita porque as crianças naturalmente gostam desse tipo de linguagem. "Existem crianças, inclusive, que desenvolvem a leitura com os gibis", diz ela.

Outro fator que torna os quadrinhos tão atraentes para as crianças é a ligação emocional que elas costumam desenvolver com os personagens. Um exemplo da força dessa conexão está na pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada em 2008 pelo Instituto Pró-Livro, na qual Mauricio de Sousa, o pai da Turma da Mônica, aparece em décimo lugar na lista dos escritores mais admirados pelos leitores, depois de Monteiro Lobato, Jorge Amado, Machado de Assis, entre outros. 

Gostou? Tem muito mais! 
Continue lendo, clicando aqui!


TV ESCOLA: UM SALTO PARA O FUTURO - HISTÓRIA EM QUADRINHOS COMO RECURSO DE ENSINO

Eu encontrei o programa completo. Nele há entrevistas com profissionais da área, fala das adaptações de livros para quadrinhos. Tudo muito agradável e lúdico. Professores, assistam! Vale a pena. Sei que temos pouco tempo, mas faça um esforço. Vai valer a pena.


sábado, 29 de março de 2014

A TURMA DA MÔNICA E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Vídeo muito legal! ótimo para ser trabalhado na educação infantil e no Fundamental I.

Histórias em Quadrinhos e Ditadura Civil-Militar (1964-1985)


Eu encontrei uma ótima aula sobre Ditadura Militar no Portal do Professor do MEC, montada por Bruno Vieira Martins, indicada para o Ensino Médio. 

A aula foi postada em 2011 então sem compromisso com datas como os 50 anos do golpe. Traz dicas de como usar quadrinhos, algumas imagens e indicações de fontes. Eu considero um referência legal e que pode ser adaptada às necessidades e à realidade da escola e dos alunos. 

Vale a pena dar uma olhadinha. 

Clique aqui para acessar a aula.

A Iara: lenda indígena pela Editora Nemo

A Editora Nemo revelou um novo título nacional que será lançado em breve: A IaraA lenda da Iara é recontada nesta HQ de amor e terror, inspirada nas narrativas indígenas tradicionais. Com dinâmica e dramaticidade a cada página, esta versão em quadrinhos criada por Silvino reúne um traço moderno e uma história tradicional, um tema ao mesmo tempo muito brasileiro e bastante universal.

A Iara tem 56 páginas em formato 20,5 x 27,3, ao preço de R$ 42,00. Silvino nasceu e foi criado no Recife (PE), onde estudou Geografia. Nesse curso, teve contato com a geografia cultural, com a antropologia brasileira e com estudos sobre as tribos indígenas do nosso país, bases que o levaram a escrever esta HQ.

Porém, suas verdadeiras paixões sempre foram a ilustração e os quadrinhos. Assim, Silvino começou a trabalhar com desenho, tornando-se ilustrador e quadrinista profissional. Hoje ele já conta com mais de uma dezena de títulos publicados.

A Editora Nemo, divisão do Grupo Editorial Autêntica, estreou em julho de 2011 com a proposta de reunir nomes consagrados das HQs e autores brasileiros contemporâneos. Comandada por Wellington Srbek, já trouxe trabalhos de Moebius, Enki Bilal,Hugo Pratt, entre outros.

PUBLICADO NO HQ MANIACS

domingo, 16 de março de 2014

Gibis da "Turma da Mônica" divulgarão Vale-Cultura do governo federal


Em evento realizado em São Paulo, na última terça-feira (11/3), o cartunista e criador da Turma da Mônica, Maurício de Sousa, informou que disponibilizará 16 gibis de seus personagens para divulgar o Vale-Cultura, programa do governo federal que distribuirá cartões de R$ 50 mensais para trabalhadores de todo o País.

De acordo com a Folha de S.Paulo, a ideia do desenhista é "educar" a criança sobre o que é o programa do governo. "Quero colocar uma chamada de capa e uma explicação no miolo sobre o que é o Vale-Cultura. Existe alguma diferença de público adulto e criança hoje? A criança já tá mais esperta, antenada. Vai dizer pra mãe: 'O que é isso? O que podemos fazer?'. Vem aí toda uma didática provocada pela revista", disse.

Um anúncio na página das histórias em quadrinhos de Sousa custa em torno de R$ 30 mil. O cartunista diz, porém, que não pretende cobrar o Ministério da Cultura pela divulgação.


Retirado do Portal Imprensa

Traços da Amazônia ganham os quadrinhos no ‘Projeto Hiléia’


Levar bichos, histórias, cenários e personalidades da Amazônia para as páginas de revistas em quadrinhos. Essa é a proposta do Projeto Hiléia, série de quadrinhos de temática focada na região e produzida por artistas amazonenses. Capitaneado por Strategos Gestão Cultural e Vortex Studio Arts, o projeto terá seu lançamento na quinta-feira, dia 13, às 14h, na Biblioteca Municipal João Bosco Evangelista, com a abertura de exposição sobre a iniciativa e a realização de diversas oficinas de quadrinhos.
O Projeto Hiléia foi criado por ilustradores e artistas de Manaus no final do ano passado, depois do sucesso de exposições realizadas na cidade enfocando o universo dos quadrinhos. Entre elas, “Arquivos – Neil Gaiman”, em homenagem ao autor inglês, em outubro, e “Natal em quadrinhos”, reunindo trabalhos de artistas locais e nacionais, em dezembro.
“Com o sucesso dessas exposições, surgiu a ideia de criar uma série de quadrinhos com temática amazônica”, resume Evaldo Vasconcelos, roteirista e produtor cultural no grupo, do qual fazem parte ainda os ilustradores Cristoffer Ferreira, Al Ramon, Jahn Cardoso, Luís Bárbaro Neto e Marcelo Akita; o colorista Rafael Rodrigues; e a letrista e designer Sarah Gabriela. “Vimos que havia uma demanda grande por esse material”.
Infantis e adultos
O Hiléia já conta com três projetos de revista em quadrinhos na agulha: “Maramunhã”, releitura da clássica “Batalha dos Sapos e Ratos” de Homero, voltada ao público infantil e trazendo elementos da fauna amazônica e da cultura indígena; “No País das Amazonas”, biografia de Silvino Santos (1886-1970), pioneiro do cinema no Amazonas e no Brasil; e “Manaus, um guia essencial”, um guia diferente da capital do Amazonas, enfocando sua cultura e seus costumes. Capas e algumas páginas prontas desses trabalhos serão exibidas na mostra de lançamento do Hiléia.
Saiba mais, clicando aqui!

sábado, 8 de março de 2014

DIA INTERNACIONAL DA MULHER


Hoje é dia Internacional da Mulher e a Gibiteca vem aqui dar os parabéns a todas as mulheres (meninas, moças e maduras) que leem e fazem quadrinhos. E não se enganem: elas são muitas!

PARABÉNS!

sexta-feira, 7 de março de 2014

QUADRINHO NACIONAL: PÁTRIA ARMADA

O projeto é de Klebs Junior, quadrinista, ilustrador e professor. Klebs já trabalhou em grandes estúdios como o da Marvel, DC e também na  Abril, Globo, Folha e Estadão. Agora, está investindo em quadrinho brasileiro, 
Pátria Armada serrá uma mini serie em três edições distribuída primeiro em bancas e depois em livrarias.
Conheça  mais sobre o projeto clicando aqui

LIVRO: LUA CRESCENTE


Na Gibiteca, como todos sabem, damos preferência a divulgar material sobre quadrinhos mas, vez ou outra, abrimos uma exceção. Hoje vamos falar sobre um livro infantil lançado no segundo semestre de 2013: Lua crescente. 

Lua Crescente, lançado pela Editora NovaTerra, conta uma história dessas, que acontece quando a gente vai se divertir numa casa de praia... Ainda mais quando descobrimos um brinquedo tão legal quanto o bumerangue do seu Teófilo! Compartilhe da emoção do pequeno Juninho ao ver o mar e as ondas pela primeira vez, se divertindo e aprendendo várias lições com seu pai. A obra é uma bonita lição para as crianças de hoje se tornarem excelentes adultos amanhã!

Sobre os autores:
Francisco Carvalho nasceu em 1955, é mineiro de Pará de Minas, bacharel em Direito, casado e pai de dois filhos. Possui poemas, contos e textos infantis publicados em livros e jornais da região. Venceu concursos promovidos pela Prefeitura de Pará de Minas e pela Universidade de Itaúna, entre outros, além de receber menções honrosas em concursos literários das Academias de Letras de Divinópolis (MG), Araguari (MG) e Cachoeiro do Itapemirim (ES).

Fernando Reis nasceu em 1974 em Esplanada (BA) e radicado na capital paulista desde 1979, é publicitário, ilustrador e escritor. Tendo crescido em uma família de profissionais de comunicação, artes gráficas e audiovisuais, esteve envolvido com atividades ligadas a desenho, cinema, teatro, dança e propaganda. A partir dessas influências desenvolveu seu estilo de ilustrar, que comunica vida e movimento, congelados pelo filtro de sua lente imaginária.


Estudo sobre D. Pedro II é lançado em HQ

Por Raquel Cozer em 04/03/2014 na edição 788

D. Pedro 2º já passou por duas recauchutagens desde que a antropóloga Lilia Moritz Schwarcz resolveu, para obter o grau de livre-docente pela USP, nos anos 1990, estudar a construção de sua imagem como monarca.
Na primeira renovação, livre de academicismos e detalhes teóricos, a tese se transformou no livro “As Barbas do Imperador”, que saiu pela Companhia das Letras em 1998, venceu o Prêmio Jabuti de ensaio e biografia e teve 50 mil cópias vendidas.
Agora, com 500 páginas a menos e ilustrada pelo cartunista Spacca, a pesquisa volta na forma de HQ, dirigida, segundo a pesquisadora, a um público mais jovem.
“O Barbas’ é centrado no simbolismo em torno da monarquia. Isso está mantido e, pode-se dizer, até ampliado, porque um livro em quadrinhos permite introduzir elementos visuais que deem essa dimensão. Não foi preciso simplificar as ideias, apenas a linguagem”, diz Lilia.
Uma intenção é apresentar ao público um imperador mais jovem do que aquele que entrou para a história.
Quando dava aulas em colégios, Lilia percebia que os estudantes com frequência pensavam em d. Pedro 2º como pai do 1º, já que este morreu novo, enquanto aquele aparece sempre velho em representações históricas.
Para a estudiosa, a imagem de d. Pedro 2º de barbas brancas faz parte de um trabalho de construção da memória que se estendeu por décadas.
“A barba foi usada como iconografia política. D. Pedro 2º começa a aparecer de barba em obras de pintores do Estado já no chamado golpe da maioridade, quando, aos 14 anos, vira rei”, conta Lilia.
No traço de Spacca, que dedicou quatro anos à adaptação, essa caracterização ganha força irônica, com uma penugem loura destacada no rosto infantil do imperador.
Parceria
Spacca e Lilia já tinham trabalhado juntos na HQ “D. João Carioca”, que teve 65 mil cópias vendidas desde 2007.
Embora parte daquele livro fosse baseada em “A Longa Viagem da Biblioteca dos Reis” (2002), de Lilia, Angela Marques da Costa e Paulo Cesar de Azevedo, o processo desta vez foi diferente, já que “As Barbas do Imperador”, o livro de 1998, serviu como roteiro do início ao fim.
“Procurei manter a estrutura do livro dela. Há muitas frases literais mantidas”, diz Spacca, que fez extensa pesquisa iconográfica para reproduzir imagens históricas –como a coroação do imperador, a partir de tela de 1843 de Araújo Porto-Alegre, ou a visita da comitiva imperial ao Egito, conforme retrato de 1872 de O. Schoeff.
A parceria da antropóloga com o cartunista está garantida para pelo menos mais uma HQ. A dupla agora pretende retratar a Primeira República, em história que teria como “anfitrião” o escritor Lima Barreto (1881-1922).

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Vídeo da Turma da Mônica sobre o Carnaval

O vídeo é muito divertido e serve, também, para ser usando na escola para falar sobre o Carnaval, além de ser uma lição sobre inclusão, com a personagem Dorinha. Assista, aprenda e divirta-se!

Cursos de quadrinhos da Mojo Books


A Mojo Books, primeira editora 100% digital do Brasil, está lançando dois cursos de produção de quadrinhos em sua sede na Vila Mariana.
 
Nos dias 17, 19, 24 e 26 de março das 19 às 22 horas, o editor e sócio da Mojo S. Lobo estará ministrando o cursoAutopublicação de Quadrinhos, com todas as informações a respeito de como produzir suas próprias obras e lançá-las no mercado sem a ajuda de editoras. 
 
Já nos dias 18, 20, 25 e 27 de março, das 19 às 22 horas, Bruno Maron estará ministrando o curso Quadrinhos de Humor, dando uma base sólida na arte de criar tirinhas e quadrinhos que fazem rir. 
 

Ambos os cursos têm preço de R$ 400,00 em até três vezes ou R$ 360,00 a vista. A Mojo Books fica na Rua Botucatu, 129, Vila Mariana, e maiores detalhes podem ser vistos na página da editora.

PUBLICADO NO HQ MANIACS