sábado, 22 de dezembro de 2007

Mensagem de fim de ano

Caros amigos,

O ano está chegando ao fim e vamos tirar merecidas férias para o Natal e o Ano Novo. Mas em Janeiro o Blog da Gibiteca estará de volta, cheio de novidades. Agradecemos as visitas, as mensagens e as dicas que recebemos este ano e esperamos que no ano de 2008 possamos crescer ainda mais, juntos, aprendendo e dividindo experiências e tentando fazer do ensino no Brasil algo especial, para todos nós, pais, alunos, professores, enfim, todos aqueles que sonham com um país cada vez melhor, mais justo e mais democrático.

Bom, eu não poderia deixar de dar uma dica: no site da Turma da Mônica há uma linda historinha de Natal. Para ler é só clicar aqui


BOM NATAL E FELIZ ANO NOVO!!!

domingo, 16 de dezembro de 2007

Dando uma espiadinha na gibiteca

video

Gente, hoje eu me arrisquei a colocar um vídeo mostrando a Gibiteca, um mês antes da inauguração. Não tínhamos ainda colocado as HQs em caixas, não tínhamos mesa direito, estávamos sem armário, mas animação não faltava. Minha máquina não é lá uma maravilha, mas acho que dá para ter uma noção. Em breve espero poder postar um vídeo melhor, mostrando como ela está agora, sete meses depois.

HQS nas escolas francesas

Pesquisando na Internet, sobre HQS nas escolas, achei duas coisas muito interessantes. A primeira foi um artigo sobre o assunto, em duas partes, escrito por Jean-Claude Rolland .

No artigo, ele comenta como as HQS (na França chamadas de Bande Dessinées), estão sendo cada vez mais usadas nas escolas secundárias, aparecendo continuamente, desde 2002, mas listas de obras literárias indicadas para leitura. Ele tirou partiu da análise do Banco de Dados de Angoulême. para chegar a este resultado. Esta demanda tem ajudado a reconhecer o trabalho de cartunistas, desenhistas e roteiristas que estão sendo vistos como autores. No artigo Rolland ainda realça o caráter interdisciplinar das HQS, que poder ser usadas em todas as disciplinas, estimulando projetos conjuntos.

Cita como vantagens da criação de HQS por alunos: organizar e pensar melhor a sala de aula. Favorecer trabalho em equipe, ajudar a administrar o tempo, reinvestir nas competências em investigação documental e leitura. Além disso, ainda mostra como se analisar uma página de quadrinhos e fala um pouco sobre alguns gêneros e tipos de personagens. O artigo pode ser lido aqui.

Em segundo lugar, encontrei uma publicação pedagógica Cahiers Pédagogiques (Cadernos Pedagógicos), dedicada à análise das HQS e seu uso escolar. Muito interessante. Uma obra que seria de boa ajuda para quem está interessando em investir neste tipo de material na sala de aula. O sumário da publicação pode ser acessado aqui.

Os textos estão em francês. Para quem não tem fluência neste idioma, aconselho usar o tradutor disponível no blog. Vale a pena conhecer o trabalho que está sendo feito lá fora, até como formar de comparar com aquele que estamos fazendo aqui. O leitor irá perceber que há muitos pontos em comum e, também, muitas idéias que podem ser adaptadas à realidade brasileira.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Corrente de leitura

O blog da Gibiteca foi indicado para participar de uma brincadeira, uma corrente de leitura. É muito simples:

- Pegue o livro mais próximo, sem escolher;
- Abrir na página 161;
- Procurar a 5ªfrase completa;
- Postar essa frase em seu blog;
- Não escolher a melhor frase nem o melhor livro;
- Repassar para outros cinco blogs.

Minha contribuição é:
Livro
- A luneta âmbar, de Philip Pullman.

Frase - "Se ela fizer isto de novo, pensou, vou correr e derrubá-la, e ele se virou para sussurar para Balthamos, mas o anjo não estava em nenhum lugar por perto."

Blogs indicados:
http://leituraescola.blogspot.com/
http://www.luainternauta.uniblog.com.br/
http://dacoloniaparaomundo.blogspot.com/
http://umblogespecial.blogspot.com/
http://escolaedificar.blogspot.com/

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Nova Escola mostra como os quadrinhos podem ajudar no aprendizado

A Revista Nova Escola está com uma reportagem super legal, justamente sobre os quadrinhos e o seu uso no ensino formal. Veja só um trecho:

“Foi-se o tempo em que os gibis eram proibidos na sala de aula e as crianças tinham de escondê-los sob a carteira. Os quadrinhos são uma excelente opção para incentivar a leitura em quem está entrando no mundo das letras. A começar pelos personagens, que, por si só, são atraentes para a garotada. “Eles despertam interesse por serem bem conhecidos”, explica o psicólogo José Moysés Alves, da Universidade Federal do Pará."
Para ler a reportagem completa, clique aqui.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Artigo Publicado na Revista Desvendando a História

Pessoal, saiu finalmente a matéria que eu fiz para a revista Desvandando a História. Está em um número especial sobre revoluções que mudaram o mundo. É um texto que eu já comentei aqui e coloquei algumas partes, mas que na revista está completo, sobre HQs e Revolução Francesa, falando sobre a série francesa, Dampierre, do belga Yves Swolfs.

Estou muito feliz! A amiga Valéria Fernandes também publicou um artigo, sobre Maria Antonieta. Quem quiser conferir é só ir nas bancas.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Igreja produz HQ contra pedofilia

A pedofilia é um tema que tem alarmado a comunidade religiosa cristã, especialmente a católica, principalmente porque os padres são alguns dos principais vilões. A igreja católica romana de Nova York está tentando, através de um livro para colorir, alertar as crianças para o perigo de abusos sexuais.

A cartilha "Sermos amigos, estarmos a salvo, sermos católicos" foi distribuída em cerca de 700 escolas de Nova York como parte do Programa de Ambiente Seguro, declarou um porta-voz da arquidiocese da cidade. Uma imagem do livro mostra um anjo da guarda voando sobre um coroinha, acompanhado pelo olhar de um padre fundo da sala. Entre outras coisas, o livro aconselha a criança a não ficar sozinha com adultos em lugares fechados e aborda a questão a pedofilia via Internet.


David Clohessy, diretor da Rede dos sobreviventes abusados por padres, elogiou a iniciativa, mas disse que não vai longe o suficiente.

No Japão, a pedofilia aparece principalmente nos mangás hentais. Existem tipos de mangás que chegam a mostrar o ato sexual com garotas identificadas como menores de 18 anos. Uma pesquisa feita em 2006 revela que dos mangás hentais analisados, cerca de 30% continham pedofilia, sendo que o anime ficou com 16% e jogo 12%.

No Brasil este tema já foi abordado nos quadrinhos. O artista Nestablo Ramos Neto, fez uma campanha contra a pedofilia nos quadrinhos. Ele alerta sobre o aumento do número de cenas de pedofilia em produções nacionais e convida desenhistas e criadores de personagens a passarem para frente uma mensagem anti-pedófila. O quadrinista paraibano Emir Ribeiro, criador da heroína Velga, também participou da campanha.

domingo, 2 de dezembro de 2007

Balanço de fim de ano

A gibiteca encerrou esta semana seus trabalhos, pelo menos os trabalhos externos. Agora é hora de fazer um balanço sobre o que produzimos este ano e sobre o impacto que a gibiteca teve sobre nossos alunos e sobre nossos professores. Para isto estamos organizando dois questionários. Um será entregue aos professores, onde eles irão apontar os pontos positivos e negativos e fazer sugestões sobre o funcionamento da gibiteca, além de exporem suas expectativas para 2008.

Para os alunos, iremos elaborar um questionário com base nas estatísticas que serão levantadas a partir dos registros de empréstimos. Também eles serão convidados a opinar sobre o funcionamento da gibiteca para 2008.

De imediato, posso adiantar o interesse de meninos e meninas por alguns títulos. Os Mangás revelaram-se uma grande novidade para eles e foram os mais solicitados nas compras que fizemos este ano. As hqs da Turma da Mônica também fizeram a alegria dos nossos jovens leitores. As especulações, eu encerro aqui. Com base nos registros podemos estabelecer metas para o ano de 2008, tanto no sentido de ampliar nosso acervo, quanto em relação a estratégias para a diversificação de leituras (no sentido de incentivar a leitura de outros gêneros) quanto em relação às oficinas e palestras que pretendemos promover.

Aguardem novos dados e fiquem a vontade para oferecer sugestões