quinta-feira, 30 de abril de 2009

Lutem pela renovação dos quadrinhos brasileiros


Um dos grandes dilemas hoje no Brasil é a melhoria da educação de qualidade para todas classes sociais, a exemplo dos outros países desenvolvidos, o que de fato atrapalha o desenvolvimento do nosso país, assim como o Brasil deixou o quadrinhos nacional abandonado, hoje o mesmo acontece na educação.

Da para fazer diversas comparações com a educação e os quadrinhos brasileiros se de um lado a uma falta total de apoio, de outro está por um fio, às escolas do jeito que estão se parecem mais um barril cheio de pólvora prestes explodir.


Os quadrinhos brasileiros se dependessem de patrocínio ou de boa vontade do governo já tinham se extinguido há muito tempo como os dinossauros, tudo de bom que foi feito por esse país pode ir por ralo da história.


Há também uma miopia dos quadrinistas que só vem seu próprio trabalho não se interessam um conhecer o que é feito em outros estados do Brasil, enfim do jeito que as coisas andam é muito difícil uma grande industria de criação de quadrinhos se auto sustentar.


No Brasil vive-se a lei das selvas, infelizmente quem está em uma situação melhor não enxerga a dificuldade dos outros comparando a educação e os quadrinhos. Se um está mal, o outro está em estado grave, o que eu quero dizer com isso é que, se a educação de um país vai mal as outras mazelas são influencia direta, o potencial de país criativo só se tornará possível quando tiverem condições mínimas para que isso aconteça.


Não podemos esperar que as coisas ou oportunidades caiam do céu, precisamos trabalhar todos os dias incansavelmente para que aquilo que esperamos aconteça de fato. Não podemos esquecer que não temos livros teóricos sobre quadrinhos suficientes nas bibliotecas públicas brasileiras, talvez nem nas universidades não há, então como os pesquisadores ou amantes da arte seqüencial vamos nos aprimorar em conhecimento sobre a nona arte.


Se não a espaço para os desenhistas fazerem seu trabalho, não há livros falando sobre hqs, o material de desenho é caro, e ainda por cima não somos valorizados nem como artistas, como a própria sociedade pode exigir que não vêem nosso trabalho?


Ainda temos o péssimo hábito de subestimar tudo que vem do exterior produzido nos E.U.A, Japão ou Europa. Nessa desorganização brasileira ainda assim alguns quadrinistas conseguem fazer algum trabalho prestigiado, não seria melhor que apoiassem a estrutura para que surjam mais talentos de quadrinhos ou outras áreas?


Não abandonem essa luta quadrinistas brasileiros vamos renovar tudo o que já foi feito pelos quadrinhos, incluse, conto com apoio todos os fanzineiros, pesquisadores de quadrinhos, leitores, etc.


Precisamos que os leitores, críticos e professores de arte estejam todos convocados para renovação do quadrinho nacional.


*Mauro Cesar Bandeira é professor, formado em Artes Plásticas, Habilitação em Licenciatura, do Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade de Brasília.


Fonte: http://zinebrasil.wordpress.com/

3 comentários:

julio de castro disse...

estamos abrindo uma nova trincheira aqui http://semanadequadrinhosufrj.wordpress.com/

e "vâmo que vâmo".

Márley Tânis Cardoso disse...

São iniciativas desse tipo que estão faltando no Brasil. Parabéns e o que precisar do pessoal do Sul... Estamos aqui. abração

marleytanis.blogspot.com

Natania Nogueira disse...

POis é, e oq quadrinhos precisam de uma força. Ainda mais com os últimos acontecimentos. Sempre vamos ser um alvo fácil para quem não aceita o "novo" (se bem que a idéia dos quadrinhos na escola não seja propriamente nova).