domingo, 30 de agosto de 2009

Crianças contra o trabalho infantil


Beberibe. Lugar de criança não só é na escola como também deve ser distante dos espaços de trabalho, que é ´coisa´ de adulto. Quem pensa e faz o contrário está contra a dignidade e cometendo crime. É o que agora entendem milhares de crianças das escolas públicas de Beberibe, no Litoral Leste, após massiva participação no prêmio do Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Peteca), desenvolvido em aproximadamente 50 cidades do Interior. Entre março e agosto foram produzidas 998 tarefas, entre contos, poesias de cordel, histórias em quadrinhos, pinturas, desenhos, fotomontagens, esquetes teatrais, músicas e paródias.

O volume de trabalhos surpreendeu o Ministério Público do Trabalho, que só recebeu, até ontem, as produções que concorrerão a computadores e impressoras para alunos e professores, e equipamentos de projeção audiovisual para a própria escola. Segundo o procurador do Trabalho Antônio de Oliveira Lima, coordenador regional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente e um dos coordenadores estaduais do Peteca, havia sido estabelecida como meta a produção de pelo menos quatro trabalhos por escola, o que no caso de Beberibe, resultaria em 72 tarefas. "Como eles produziram 998 atividades, tivemos no município uma média de 55 tarefas por escola, o que supera em mais de 1100% os números esperados", afirmou, por meio da assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho.

As 998 tarefas foram constituídas de contos (85), poesias de cordel (231), histórias em quadrinho (144), pinturas ou desenhos (320), fotomontagens (56), esquetes teatrais (23), músicas (42) e paródias (97). Os coordenadores pedagógicos municipais do Peteca em Beberibe, Marcelino Luís da Silva e Cleiton Pereira da Silva, elogiaram a qualidade do material didático, mas lamentaram que não tenha atendido à demanda. Além das tarefas escolares, os estudantes realizaram pesquisas na comunidade abordando a temática, promoveram caminhada pela erradicação do trabalho infantil e produziram blog na internet.

Conforme relatório final enviado pela coordenação municipal do Programa à coordenação estadual do Peteca, os professores das diversas escolas foram capacitados sobre o tema trabalho infantil em oficina realizada em fevereiro, com palestras com representantes do Ministério Público local, conselho tutelar e Secretarias de Educação, Saúde e Assistência Social.

FIQUE POR DENTRO

Melhores trabalhos serão escolhidos em setembro

No mês de setembro, a coordenação estadual do Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Peteca) escolherá os seis melhores trabalhos de cada modalidade. No dia 16 de outubro, os autores apresentarão os trabalhos finalistas em evento a ser realizado em Fortaleza.

Cerca de 296,5 mil crianças e adolescentes (de 15 a 17 anos) estavam em situação de trabalho no Ceará em 2007, conforme a Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio (Pnad). O Ceará ocupa o 9º lugar no ranking nacional da exploração do trabalho de crianças e adolescentes. Outras cidades que também têm sido exemplos de sucesso do Peteca são Jaguaruana e Juazeiro do Norte.

Mais informações
Coordenação municipal do PETECA - Beberibe
(85) 9906-6623 - Cleiton Pereira
www.prt7.mpt.gov.br

Fonte: Diário do Nordeste

2 comentários:

Teresinha Bernardete Motter disse...

Vim te agradecer o apoio com um bjs.
Obrigada querida.
Berna

Natania Nogueira disse...

Valeu, Berna!
Saudades!