quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Turma da Mônica vai ensinar crianças a lidar com dinheiro


Gibi de 20 páginas terá 200 mil cópias e distribuição gratuita
Helenice Laguardia

A Turma da Mônica, eternizada pelo escritor Maurício de Sousa, tem um novo desafio pela frente: o da educação financeira para as crianças e toda a família. A história da "Turma da Mônica em Superendividados" começa com a Mônica que vai comprar alguns cartões e se encontra com a amiga Magali ajudando o pai a fazer compras num supermercado.

O carrinho de compras está cheio de supérfluos que a Magali colocou. O pai leva um susto, mas aceita pagar, ou pelo menos tenta. Tenta com um cartão, com outro, com cheque e nada. O restante da história você vai saber quando a próxima Revista da Turma da Mônica for lançada no dia 13 de março, em São Paulo. A gente adianta para você a capa da edição (veja ilustrações ao lado).

Serão 20 páginas com as peripécias da Mônica e da turma em 200 mil exemplares divididos em duas edições. A distribuição será gratuita. Quem quiser saber como conseguir um exemplar também pode acessar o site www.sosconsumidorsp.com.

A criadora do projeto que o escritor Maurício de Sousa adotou é a presidente do Movimento SOS Consumidor, Marli Aparecida Sampaio. Ela contou que a ideia nasceu durante a preparação para a tese de mestrado dela. "No mestrado, através de um trabalho, eu desenvolvi um tema sobre o endividamento, e, junto com o orientador, começamos a fazer histórias em quadrinhos para tocar no assunto. Então, resolvi ligar para o Maurício de Sousa, que se encantou pelo projeto", contou. A Turma da Mônica, para Marli Aparecida, teria uma linguagem mais fácil de atingir os consumidores infantis e também toda a família, de todas as classes e em todas as regiões.

Ex-diretora-executiva do Procon de São Paulo por dois anos, Marli Aparecida explicou que tem acompanhado com preocupação o problema do consumidor endividado. "Ele se sente sozinho, envergonhado, não quer falar do problema com a família, fica à margem da sociedade", disse.
Marli Aparecida vê as crianças como compradoras de tudo. "A educação financeira tem que começar logo no início para ela saber o valor do que está comprando, os gastos que podem acontecer e se os pais ficarem numa situação difícil", observou.

No mercado editorial brasileiro já é comum encontrar títulos direcionados à educação financeira infantil. "O Menino do Dinheiro", Editora Gente, do consultor financeiro Reinaldo Domingos, é o mais recente. Os personagens são o Menino do Dinheiro, a mãe Dona Providência, o pai Senhor Desprevenido, o professor Reimoney e o rival do menino, o Gastão. Todos eles são usados para o autor contar como saber poupar e fazer escolhas para a conquista dos sonhos.

Sem ser chato, "Filhos Inteligentes Enriquecem Sozinhos", também da Editora Gente, é do consultor Gustavo Cerbasi. Consagrado autor de livros de autoajuda financeira, como "Casais Inteligentes Enriquecem Juntos", mostra o ato de educar os filhos sem fórmulas ou planilhas complicadas.

Educação financeira vai parar na sala de aula das escolas
"É de pequeno que se torce o pepino" já dizia o ditado popular, e as escolas estão adaptando o currículo para o ensino da educação financeira. Neide Noronha, professora de matemática do colégio Santo Antônio, em Belo Horizonte, contou que a partir dos 6 anos as crianças da escola começam a trabalhar com "notinhas imitando dinheiro dentro da sala".
No ano seguinte, já começam a ler o livro "Aprender Juntos", que ensina como lidar com o dinheiro na forma real. "Tem criança que não sabe o valor do dinheiro. Se o brinquedo vai custar R$50 ou R$ 500 é a mesma coisa", disse. As lições, que incluem visitas ao supermercado, vão até os 11 anos. "Eles levam os folders para a sala para comparar os preços". (HL)

Ensinando o filho
1- Escolhas
É preciso ensinar seu filho a fazer escolhas, pois não dá para comprar tudo o que se quer

2- Diferenças
Explicar à criança o que é a diferença entre desejo de consumo e necessidade

3- Planejar
Ajudar o filho a planejar o uso do dinheiro que ele recebe como mesada

4- Multiplicar
Mostrar ao filho que, quando o dinheiro é poupado, ele vai se multiplicar por causa dos juros e aí ele poderá comprar o brinquedo depois

5- Custo
Mostrar que os produtos são adquiridos com o dinheiro que os pais ganham com o trabalho

6- Parcelar
Conte ao filho que as compras parceladas no cartão ou cheque são uma forma de antecipar o consumo para alguma coisa de grande necessidade

7- Dívidas
Explique ao filho que as dívidas têm que ser pagas

8- Contas
Conte quantas horas são necessárias no local de trabalho para pagar contas e que quanto maiores os gastos, mais tempo você terá que trabalhar

No Congresso
Projeto. Tramita no Congresso Nacional projeto que obriga a educação financeira em escolas públicas. O texto já foi apreciado na Câmara e está no Senado para avaliação.

FONTE: O TEMPO

2 comentários:

Anônimo disse...

Sou professora e estou fazendo um trabalho sobre consumo consciente e esta revista veio a enriquecer o nosso trabalho.
Tenho 25 crianças de 6 anos.
Endereço: Rua Augusto Silva,28 Bairro Jaraguá BElo Horizonte MG
Cep31-270280
Aguardo notícias.
Desde já agrdeço.
Beth

Natania Nogueira disse...

Oi!
Para conseguir a revista vc tem que acessar o site www.sosconsumidorsp.com.
Eu apenas repassei a informação;
:-)