segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Professores do Mangá Studio Japan Sunset ministrarão Workshop na Ilha Comprida


As inscrições já estão abertas.
Os professores Bernô e Luiz Henrique, que integram a equipe do Mangá Studio Japan Sunset – uma das mais conceituadas escolas do estilo no Brasil -, estarão na Ilha Comprida no sábado 19 e domingo 20, para ministrar o Workshop Preparatório de Mangá, no Espaço Cultural Plínio Marcos. Serão oferecidas 24 vagas aos moradores da Ilha Comprida, com idade acima de doze anos.

As inscrições podem ser feitas no Espaço Cultural, em horário comercial. Realizado pela Divisão Municipal de Cultura da Ilha e coordenado pelo Mangá Studio Japan Sunset, o curso apresentará técnicas e noções básicas de cópia, estrutura corporal e segredos do grandes mestres do Mangá. Reconhecida como a primeira equipe da America Latina a trabalhar com caricaturas em mangá, a Studio Japan soma dez filiais com aproximadamente 200 alunos. Seu fundados é Fábio Shin, um dos grandes mestres da arte oriental no Brasil. Seu mais recente trabalho é o mangá “Eternamente Michael”, homenagem a Michael Jackson.

O que é o Mangá

Mangá é o nome dado às histórias em quadrinhos de origem japonesa. A palavra surgiu da junção de outros dois vocábulos: man, que significa involuntário, e gá, imagem.Os mangás se diferenciam dos quadrinhos ocidentais não só pela sua origem, mas principalmente por se utilizarem de uma representação gráfica completamente própria. Para começar, o alfabeto japonês se compõe de ideogramas que não só representam sons, mas também idéias.

Assim, em um mangá, o texto em geral, mas principalmente as onomatopéias, fazem parte da arte. A ordem de leitura dos mangás também é diferente daquela que estamos acostumados. Um livro japonês começa pelo que seria o fim de uma publicação ocidental. Além disso, o texto é disposto da direita para a esquerda.

Outra característica peculiar dos mangás é que eles são publicados em volumes de mais ou menos 200 páginas cada, o que permite aos autores criar histórias mais longas e aprofundadas. Dessa forma, em um mangá é comum ver várias páginas só de imagens, sem diálogos, e também ações que se desenrolam por muitos quadrinhos e abordadas por diferentes pontos de vista. A disposição dos quadrinhos em uma página de mangá é diferente daquela que se costuma ver num comic americano, que costuma ter 3 ou 4 fileiras de quadrinhos por páginas. Como os mangakás (nome dado aos autores de mangás) dispõe de um espaço maior para contar sua história, também empregam um número menor de quadrinhos por página – não é difícil ver página até sem quadrinhos, com uma única imagem estourada.

Também é característica dos mangás serem feitos completamente em preto-e-branco e em papel jornal, o que torna o produto mais barato e faz com que ele seja consumido por todo tipo de pessoa – no Japão eles são lidos por crianças, estudantes, executivos, donas-de-casa…

Esses são apenas alguns pontos que caracterizam os mangás. Só que o principal é a capacidade que eles têm de encantar pessoas do mundo todo. Ler um mangá é uma experiência única. É mergulhar em um mundo próprio. Cheio de ação, emoção, heróis, criaturas mágicas e muita, muita diversão.Fonte: Site JBC

Serviço- Saiba mais sobre o Mangá Studio Japan Sunset no site: www.fabioshin.com

Fonte: Diário de Iguape

2 comentários:

IDÉIAS E CRITÍCAS disse...

Ola!
Sou críticos a muitas coisas, mas tenho que parabenizar você pelo seu blog!!Pois a cultura é algo indispensável para nossa vida, a leitura nos ajuda a crescer e romper barreiras da ignorância de muitos...
abrç
Leandro; ideiasecriticasdavidahoje@blogspot.com

Natania Nogueira disse...

Obrigada, de verdade, Leandro!
Espero que volte sempre!
:-)