terça-feira, 8 de setembro de 2009

História em Quadrinhos sobre Guerra do Jenipapo será lançada na Feira HQ


m dos episódios mais sangrentos do Brasil acaba de ter mais um empurrãozinho rumo a uma maior visibilidade nacional. A Batalha do Jenipapo, um dos mais marcantes combates já existentes no país, saltou dos livros de Histórias – principalmente piauienses, diga-se de passagem – para os quadrinhos e deve tornar mais simples e acessível o conhecimento acerca desta luta às margens do rio Jenipapo em Campo Maior.

A história em quadrinho “Foices e Facões – A Batalha do Jenipapo” será lançada no próximo dia 18 em formato livro (15cm X 22cm) durante o encerramento da 10ª Feira HQ, que começa na sexta que vem (11). O comic book tem 152 páginas e é uma realização dos irmãos Caio Thiago (arte) e Bernardo Aurélio (roteiro, arte-final e editoração). “Este é projeto meu mesmo que demorou um ano para ser feito, desde quando fiz as pesquisas”, relata Aurélio.

Segundo ele, estão retratados na obra, os fatos mais importantes referentes à batalha que para ser retratada também teve de contar com personagens fictícios junto aos nomes reais. “A história é centrada em personagens fictícios: uma família de vaqueiros que deve decidir se vai ou não participar da Batalha e por quais motivos”, descreve o roteirista. A publicação também conta com diversos desenhistas e artistas gráficos da capital, como Albert Piauí, Jota A, entre outros que também realizaram ilustrações sobre este capítulo sangrento da nossa história.

A tiragem total será de 2.100 exemplares, dos quais apenas 400 estarão disponíveis para a venda na Banca do Ribamar, esquina da Avenida Areolino de Abreu com Sete de Setembro, após o lançamento. O restante será distribuído pela Fundac para escolas e demais instituições.

Fonte: CidadeVerde.com

2 comentários:

Anônimo disse...

OLHA FIQUEI MUITO FELIZ POR SABER DESSA BATALHA DO JENIPAPO POIS NUNCA HAVIA ESTUDADO EM LIVROS ALGUM SOBRE ESSE EPISÓDIO.
OLHA PRECISAMOS PESQUISAR MAS SOBRE A HISTÓRIA DO BRASIL POIS SEI Q HAVERÃO MUITO MAIS HISTÓRIA PARA SEREM ECRITAS.PARABÉNS.
ATT.
ANTONIO G ROCHA

Natania Nogueira disse...

Pois é, há muitos pequenos conflitos regionais que se limitam à história local, que por sua vez fica limitada à universidade pois são raras as iniciativas de se levar este conhecimento para as escolas e para a população de forma geral.