domingo, 30 de janeiro de 2011

SOBRE O DIA NACIONAL DOS QUADRINHOS


Desde que o blog foi criado, em 2007 e faço uma postagem especial sobre histórias em quadrinhos no Dia Nacional dos Quadrinhos, como aconteceu hoje. Mas além desta postagem eu gostaria de aproveitar pra escrever algumas palavras sobre a importância dos quadrinhos na minha formação pessoal e profissional.

Pois é, como para muita gente eu comecei a me alfabetizar por meio dos quadrinhos. Gibis que eu achava despedaçados, que eu pegava escondido na casa dos meus primos ou que eu conseguia comprar juntando algumas moedas. Na minha casa não havia livros, às vezes tinha jornal. Meus pais não tinham escolaridade - uma média de 4 anos de escola para cada um. Eu tinha uma tia que era professora e na casa dela eu pegava alguns livros para ler.

Sempre tive muita ânsia de leitura, nunca precisei e incentivo neste sentido. Mas os quadrinhos despertaram minha criatividade. Eu me lembro que, quando criança, eu brincava com meus primos e cada um fingia que eram um super herói. Eu me imaginava voando, escalando montanhas, mergulhando em mares profundos. Foi uma parte muito importante da minha vida.

Quando mais velha, comecei a colecionar quadrinhos e marcava ponto na banca esperando que minhas publicações chagassem. Costumava encomendar da distribuidora aqueles que não chagavam na minha cidade. Era quase um ritual mensal. Com a Internet eu conheci muitas pessoas que compartilhavam do meu interesse. Algumas permanecem amigas até hoje. Mas não me encaixava muito bem nos grupos de fãs porque para mim os quadrinhos tinham um significado maior do que ficar discutindo se as garras do Wolverine eram naturais ou implantadas (ex).

Por fim eu encontrei meu espaço por intermédio do JOTAPÊ MARTINS, que me encaminhou para a lista de discussão sobre quadrinhos da USP, comandada pelo Prof. WALDOMIRO VERGUEIRO, a AGAQUÊ. Lá eu comecei a conhecer mais, a ler mais sobre quadrinhos e não apenas os quadrinhos em si. Daí vieram os primeiros trabalhos na sala de aula, as primeiras pesquisas, as primeiras comunicações em congressos de história e de educação e o projeto Gibiteca.

Eu comemoro o dia Nacional dos Quadrinhos como sendo um dia de redescoberta, uma data que escolhi para marcar uma renovação na minha vida profissional. Hoje eu sou professora, pesquisadora em história e também em história em quadrinhos. Estou aprendendo muito a cada ano que passa e acredito que este aprendizado será infinito, graças as trocas que realizo com os leitores, com outros professores e com pessoas que conseguem enxergar "além dos quadrinhos".

Arte, ciência e ensino reunidas em uma mídia que para muitos não passa de um lazer infantil, mas que encontra-se enraizado na cultura popular e erudita mundial.

Viva o Dia Nacional dos Quadrinhos e que Santo Agostine esteja com todos nós!

3 comentários:

Alex Badaró disse...

Acho que tinha 8 anos quando totalmente influenciado pelos quadrinhos e seus heróis decidi que seria artista plástico. Até hoje não me passou outra profissão pela cabeça.Pobre mas feliz ;)
Me graduei em Artes e design e hoje aos 28 passo meus gibis para meu filho que aos 3 fica facinado lendo as imagens e as letrinhas de historinhas do Batman, Homem aranha entre outras que guardei.
Fico feliz em saber que em nossa cidade os Gibis estão sendo bem cuidados e difundidos e parabenizo pelo trabalho.

Meu nome é Alex Badaró e produzo um evento de artes integradas em Leopoldina chamado PALETADA.
Seria muito legal integrar a Gibiteca ao evento. Deixo aqui um convite informal para nossa exposição coletiva.

VIDA LONGA AOS QUADRINHOS E QUE ELES SE FORTALEÇAM COM A NOVA ERA DIGITAL

Natania Nogueira disse...

Oi, Alex!
Envie mais detalhes sobre o evento para que possamos divulgar!
Abraços!

JJ Marreiro disse...

Lindo Depoimento, Natania. Precisamos de mais pessoas como vc na batalha pelo quadrinho como cultura, entretenimento, mídia e arte. Parabéns pelo ótimo trabalho de sempre!

ass. JJ Marreiro