domingo, 31 de janeiro de 2010

Volta às aulas!


Amanhã voltamos às aulas. Estamos planejando muito coisa para este ano: eventos, palestras, oficinas e outras atividades dentro e fora da escola. Já estamos firmando parcerias e ainda neste bimestre já teremos uma grande surpresa para todos!

A Gibiteca irá funcionar apenas internamente, neste mês de fevereiro. Pretendendo colocar tudo em ordem, recadastrar as revistas, separar as que precisam de reparos e organizar a escala de trabalho dos nosso voluntários, para 2010.

Iremos abrir para o público interno e externo a partir da primeira semana de março.
Venham nos visitar!

Começando o ano letivo : dica de atividade

Para professores do Ensino Fundamental I:

Na primeira semana de aula convide seus alunos para fazer um álbum de apresentação utilizando revistas comuns ou revistas em quadrinhos. É uma atividade muito simples. Pegue revistas velhas, peça para os alunos recortarem as figuras e montarem uma história em quadrinhos contanto um pouco da sua vida.

Ele faz uma apresentação (quem sou, onde moro, quantos irmãos tenho, o que gosto de fazer), só que ao invés de usar apenas a narrativa, ele usa a colagem em forma de quadrinhos. Para facilitar, o professor pode fornecer ao aluno a folha quadriculado (quadros grandes, de 4 a seis por página, dependendo da idade do aluno).

Depois, os alunos trocam suas "revistinhas" e os colegas passam a conhecer aqueles com quem vão conviver todo o ano. Depois, seria interessante deixar as revistas em um varal, dentro da sala, em exposição.

A atividade ajuda o professor a conhecer melhor seus alunos e a criar um clima legal na sala, na primeira semana de aula.

sábado, 30 de janeiro de 2010

HOMENAGEM DE ANTÔNIO CEDRAZ AO DIA NACIONAL DOS QUADRINHOS


Fonte: Turma do Xaxado

EXPO HOMENAGEIA ANGELO AGOSTINI EM CAMPINAS


(clique na imagem para ampliar)

Cem anos sem Angelo Agostini merece uma homenagem especial.
Este genial artista gráfico, criador da primeira HQ do mundo (As Aventuras de Nhô Quim) em 30 de Janeiro de 1869, fundou os mais importantes jornais do Brasil na época (Diabo Coxo, O Cabrião, Revista Illustrada) e colaborou com inúmeros outros (O Mosquito, Vida Fluminense, Tico-tico).

Suas charges eram lidas e discutidas por todos. Ele era realmente popular. Infelizmente, morreu sem reconhecimento.

A Escola de Arte Pandora quer reparar isso com uma exposição de professores. alunos e notáveis caricaturistas e quadrinhistas dos tempos atuais: Amorim, Bira Dantas, Caio Yo, Clovis Lima, Edgar Franco, Fabiano Carriero, Leandro Doro, Matheus Moura, Matheus Mazzari, Moretti, Morettini, Nei Lima, Pacheco, Toni d'Agostino, Uenderson e Will dão a graça de seus traços em honra do nosso passado.

Pois sempre é tempo de provar que temos memória sim e que um Mestre como Angelo Agostini não será esquecido nunca.

Exposição de 30/01 à 13/02.
Das 9h00 às 19h00 (de segunda à sexta) e das 9h00 às 13h00 (sabado)

Nova Pandora, Escola de Arte
Rua Joaquim Novais, 146
Fone (19) 3234.4443
Cambuí • Campinas - SP

Mais informações
http://blog.pandora.art.br/ 0 comentários

Fonte: Charges do Bira

O Tico-Tico


O Tico Tico, primeira revista de nível nacional a apresentar histórias em quadrinhos para o público infanto-juvenil. Lançada no Rio de Janeiro em 11 de outubro de 1905, cuja primeira edição de dez mil exemplares esgotou rapidamente.

A revista foi batizada com o nome Tico-Tico em homenagem à ave “passeriforme, fringilídea” ,conhecida popularmente como Maria-Judia. Numa época em que não havia televisão, vídeo game, computador e o único som que se ouvia era o dos altos falantes nas ruas, ficar de castigo para uma criança, era ficar sem a Tico-Tico. A revista cultuou a mãe preta, valorizou os humildes, o amor ao Brasil e a identidade popular através de seus personagens e temas publicados; as crianças enchiam os olhos com as lendas, contos regionais e cantigas populares.

Em suas histórias e ilustrações, personagens como Zé Macaco, Faustina, Chiquinho, Reco-Reco, Bolão e entre outros, encantavam as crianças daquela época. A revista apresentou desde o início inovações visuais e gráfica abrindo espaço para ilustradores.

A revista foi fundada pelo desenhista italiano, naturalizado brasileiro, Agostini, que falecera cinco anos depois do lançamento do Tico-Tico, tendo a colaboração de outros desenhistas como J.Carlos, Alfredo e Oswaldo Storni, Ivan Rodrigues, Monteiro Filho, Luiz Sá, Max Yantok e Aqcuarone.

Em 1906, o Tico-Tico já era sucesso nacional, manteve o preço de duzentos réis até 1920, registrando ao longo de suas publicações o espírito brasileiro e influências nos primeiros cinqüenta anos do século XX. Além de quadrinhos, em suas páginas as crianças encontravam passatempos, mapas educativos, textos da literatura juvenil e informações históricas.

A revista se extinguiu nos fins da década de 50, mas ficou registrada a evolução gráfica e artística de sua obra e sua preocupação em informar e entreter os jovens daquele tempo. Em 2005, a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, realizou uma exposição completa para comemorar os 100 anos de lançamento da revista e sua presença histórica na imprensa brasileira.

Fernando Rebouças
Desenhista
www.oiarte.com

Fonte: Info Escola

Cartoon marca vida de artista

Michelle Tondineli

Repórter

O cartoon é um desenho humorístico acompanhado ou não de legenda, de caráter extremamente crítico, que retrata de forma bastante sintetizada algo que envolve o dia-a-dia de uma sociedade. Já a caricatura é um desenho de um personagem da vida real, que enfatiza e exagera suas características de forma bem humorada, e em algumas circunstâncias acentua gestos, vícios e hábitos particulares do indivíduo.

O cartunista e caricaturista Márcio Leite começou seu trabalho desde a escola infanto juvenil. Ele afirma que, depois, quando passou a estudar no colégio Tiradentes, foi se aperfeiçoando.

- Eu desenhava na sala de aula e algumas vezes o professor pedia para desenhar no quadro. Como sempre saia uma orelha maior, percebi que eu era caricaturista. Depois comecei a buscar novidades. Realizei minha primeira exposição no Centro Cultural e depois comecei a desenhar para o Jornal do Norte - diz.

De acordo com Márcio, como não existe faculdade para caricaturista, ele aprendia através de livros, principalmente do Ziraldo.

- Em todo o Brasil é difícil de viver de arte. É muito pequeno o mercado, poucos jornais adotam esse trabalho. Acredito que é importante divulgarmos esse trabalho. Eu não me arrependo da minha arte. É algo que me deixa feliz e completo. Trabalho o tempo todo e estou sempre desenhando cartuns e caricaturas - afirma.

Márcio diz que para se inspirar precisa ter um tema e estudar sobre ele.

- Para a criação de caricatura, preciso saber do que a pessoa gosta e de cada detalhe. Não existe caricaturista que não pesquisa. É necessário. Para cartoon também se faz uma pesquisa sobre o tema e história. Tem a parte de inspiração, mas também tem a leitura e a pesquisa - afirma.

Segundo o caricaturista, o site Iran Cartoon o convidou neste ano para julgar e não ser julgado.

- Já ganhei mais de 40 prêmios, o que me deu a bagagem de julgar e não de ser julgado através do Iran Cartoon. A bienal foi muito boa, é a maior do mundo em termos de premiação e qualidade. Foram cinco jurados para mais ou menos 300 desenhos, divididos em cartoons, histórias em quadrinhos, caricaturas e cartoons temáticos. Mesmo sendo desenho de humor, não deixa de ser um trabalho sério. Existem cartunistas consagrados e outros que estão começando - finaliza.

CARTUNISTA PRETENDE CRIAR FUNDAÇÃO BRAZIL CARTOON

O caricaturista montes-clarense Márcio Leite criou, há três anos, o site informativo de cartoons internacional Brazil Cartoon. Ele afirma que a ideia de criar este site surgiu através do site Iran cartoon.

- O site tem informações sobre concursos e salões. Daí eu realizo a tradução e posto em inglês e português no site. Assim, foi possível aumentar o número de participantes brasileiros. Já existem outros 15 sites que têm conteúdo para publicar estas matérias. O site hoje tem alcance mundial, em se tratando de um site segmentado, isso é bom. O Brazil Cartoon disponibilizou um bom trabalho para mim - diz.

Quando o assunto é exposição, Márcio fez várias e passou por experiências importantes.

- Eu já fiz exposições em Montes Claros e Belo Horizonte, já lancei livro, e é gratificante poder mostrar meus trabalhos. Já promovi o salão de humor da floresta amazônica aqui, e um salão completamente virtual. Recentemente, fiz o salão de caricaturas Godofredo Guedes, em homenagem ao centenário. Fico feliz que através destes trabalhos eu consigo expor o que faço - afirma.

O cartunista fala que em Montes Claros existem muitos talentos que ainda não quiseram crescer.

- Existem muitos talentos, alguns conhecidos e outros que ainda estão se descobrindo. A cidade é um celeiro de cartoon. Hoje, Piracicaba é a cidade nacional do cartoon, e por que não Montes Claros? É preciso que as escolas e os jovens se sintam motivados. É um desafio, com uma imagem representar mil palavras. É importante representar e valorizar - diz.

Para expor algum de seus desenhos no site, os interessados devem enviar o currículo e os desenhos, que passam por uma pequena avaliação.

- Hoje, estamos na luta para criar uma fundação do Brazil Cartoon, assim podemos colocar projetos e promover ações para profissionalizar e valorizar as pessoas que não tiveram oportunidade - finaliza.

Outras informações www.brazilcartoon.com.

Fonte: Norte de Minas


Uma história quadro a quadro para as HQs no Dia Nacional do Quadrinho

“O Brasil foi um dos primeiros países do mundo a publicar o quadrinho moderno no jornal. Somos pioneiros até quando se trata da produção americana” – quadrinista e pesquisador, o professor Amaro Braga refere-se ao dinossáurico caso do ítalo-americano Angelo Agostini, precursor do quadrinho realista. Autor de personagens como Zé Caipora e Nhô-Quin, Agostini rabiscou a arte sequenciada em 1869, décadas antes dos comics ganharem padrão industrial, na década de 1930. Esta história, entre outras, é lembrada em evento que Amaro organizou para a tarde desta sexta-feira (29), em comemoração ao Dia do Quadrinho Nacional, celebrado neste sábado. Palestras, debates, workshops e exposições são chamariz da programação gratuita assentada no Auditório Capiba, na Faculdade Maurício de Nassau (Rua Joaquim Nabuco, 778, Graças).

“Nossa proposta é resgatar a memória histórica dos quadrinhos para apontar que não se trata apenas de entretenimento”, aponta Amaro. “Levamos em conta aquilo que já garante um reconhecimento maior às HQs: de que são também proposta pedagógica, resgate de memória, transmissão de valores culturais, com vínculo a ideologias políticas. Valorizamos um quadrinho artisticamente diferenciado”, afirma. Maior destaque do evento é a exposição já apresentada durante a última Festa Literária Internacional de Porto de Galinhas: Por uma pré-história das histórias em quadrinhos reconstrói a origem das HQs em banners, com partida em alusões à arte rupestre, a hieróglifos e aos vasos gregos, e chegada nas primeiras manifestações dos quadrinhos brasileiros. Também entra em exposição mostra em comemoração aos 50 anos de carreira de Mauricio de Sousa.

O evento tem início às 13h05, com abertura das exposições e conferência ministrada por Amaro: Por uma (pré)história das histórias em quadrinhos. Às 13h35, o programa segue com palestra do pernambucano Laílson de Hollanda Cavalcanti, que discute a importância e trajetória do Festival Internacional de Humor e Quadrinhos de Pernambuco. Logo mais, às 14h05, é a vez da professora Danielle Jamies, com o trabalho Pernambuco tem História, em quadrinhos!, pouco antes de mesa redonda sobre o mercado em quadrinhos no Nordeste, marcada para as 14h45. O debate reúne o professor Henrique Magalhães, os quadrinistas Arnaldo Luiz Nazario e Milson Marins, além de Pedro Ponzo, que emplacou material na indústria americana. O evento termina com palestra que relaciona jornalismo e quadrinhos, às 15h45.



Fonte: JC online

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

CAMPANHA PARA ARRECAÇÃO DE QUADRINHOS - 2010

Aproveitando a proximidade do dia Nacional dos Quadrinhos e o início do ano letivo, estamos lançando nossa campanha para arrecadar gibis, a fim de ampliar o nosso acervo da Gibiteca. Para quem não sabe, a Gibiteca da Escola Municipal Judith Lintz surgiu e se mantém através de doações de pessoas de todo o Brasil. São leitores ou colecionadores que nos enviam gibis e que ajudam a ampliar nosso acervo, que hoje está próximo de 5000 volumes.

Não recebemos recursos financeiros do município e tudo - até as prateleiras - foi reaproveitado. Mas não é uma queixa: não queremos dinheiro, queremos gibis!

Mas se temos tantas revistas, por que pedir mais?
A escola possui aproximadamente 750 alunos matriculados, se levarmos esse número em conta, podemos concluir que temos cerca de 6,6 revistas por aluno, o que é ainda bem pouco. Outro fator, que pesou muito no ano de 2009 (não chegamos a fazer campanha naquele ano), foi o desgaste dos exemplares. A maioria é feita de papel jornal e dura pouco. Nosso acervo sofreu algumas "baixas" por conta disso.

Assim, se você tem algum gibi em casa e não pretende ler mais, mande para nós. Ele poderá alegrar o dia de uma criança e ajudá-la a gostar de ler. Se ele não tiver capa, não tem problema, nós colocamos uma.

Ajude a gibiteca a incentivar a leitura, doe um gibi!

Os interessados pode entrar em contato pelo e-mail gibitecacom@gmail.com

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Concurso The Zupi Book


A revista Zupi, dedicada a design, ilustração, moda e arte, lançará em 2010 o primeiro volume do livro The Zupi Book, com trabalhos de artistas convidados (120 páginas) e também trabalhos selecionados no concurso The Zupi Book (40 páginas). O concurso The Zupi Book tem tema livre e é aberto a todos os brasileiros interessados em participar; os 3 melhores trabalhos selecionados receberão prêmios. O regulamento completo do concurso está disponível aqui. O prazo de envio dos trabalhos é até o dia 25 de março de 2010.

Fonte: Bigorna

Dia do Quadrinho Nacional em São Caetano do Sul (SP)


O Dia do Quadrinho Nacional será comemorado no dia 30 de janeiro, das 13h às 18h, no Centro de Referência da Juventude de São Caetano do Sul - Estação Jovem (Piso superior do módulo 2 do Terminal Nicolau Delic - Rua Serafim Constantino, s/nº - Centro - São Caetano do Sul-SP). O evento conta com a parceria da editora Panini e haverá exposição de publicações da Marvel, da DC e de Mauricio de Sousa, lançamento de Homem Aranha - Grandes Poderes, feira de troca de Quadrinhos, bate-papo com editores e ilustradores, e workshop de Desenho de HQ com Edson Pelicer. Toda a programação é gratuita, mas para participar do bate-papo e do workshop é necessário se inscrever antecipadamente pelo telefone (11) 4226-5518 (vagas limitadas). Saiba mais aqui.

Fonte: Bigorna

Dia Do Quadrinho Nacional na Gibiteca de Fortaleza


Em comemoração ao dia do Quadrinho Nacional, festejado no dia 30 de Janeiro data que marca o início da produção de HQ´s no Brasil com a publicação das “As Aventuras de Nhô-Quim ou Impressões de uma Viagem à Corte,” pelo Angelo Agostini, acontecerá na Gibiteca de Fortaleza (Biblioteca Municipal Dolor Barreira – Av. da Universidade, 2572.) um evento repleto de atrações durante toda manhã e tarde do próximo sábado.

O evento é uma iniciativa do artista João Belo Jr., do Thecomicscafe.com, e que contará com a participação de artistas como: JJ Marreiro, do Armagem.com, juntamente com Belo, conduziram o planejamento do evento que contará com manhã dedicada a produção de desenhos e roteiros, gravação de viodeocast e o lançamento de três publicações, Penitente #3, Quadrix #2 e 7Dayz.

Confira a Programação:

De 8h às 12h – Gibiarte: encontro de desenhistas e roteiristas para a produção de quadrinhos e ilustrações ao vivo.

13h – gravação do Videocast Gibits com Alex Magnus e Rafael Tavares;

15h – Lançamento das revistas Penitente#03, Quadrix #02 e Seven Dayz.
17h – Mesa de autógrafos e espaço para confraternização.

No dia será inaugurado o espaço Cine Nanquim com documentários sobre artistas e quadrinhos brasileiros.

18h – Encerramento

Fonte: Zine Brasil

Mangá usado para ensinar "justiça reparadora" para promotores em Taiwan


O site Universo Japonês (*que está nos favoritos*) publicou uma notícia interessante e eu trouxe para cá. Segundo este site, o Ministro da Justiça de Taiwan deu para todos os promotores – cerca de duas mil cópias – um mangá que narra um caso que foi chamado por ele de exemplo de “justiça reparadora”.

Embora o Universo Japonês tenha dito que o nome do mangá é Love, sem maiores detalhes, pelo resumo (*mãe que tenta se reconciliar com a família do menino que seu filho, também uma criança, assassinou*) e por ter dorama só podia ser Aishiteru ~Kaiyou~ (アイシテル~海容~) de Minoru Itou, um josei mangá.

A tal “justiça reparadora” implica em focar na reconciliação entre vítimas e réus, promovendo a cura e diminuindo confrentos. Não deixa de ser uma idéia simpática e humana.

Fonte: Shoujo Café

Curso de Mangá e Cultura Japonesa na PUCRS


A partir 19 de março, 2010:

Durante quatro meses( março a junho ), com aulas às sextas-feiras, das 14h30min às 16h25min, será ministrado pelo professor e ilustrador Marcos Pinto o Curso de mangá e Cultura Japonesa no Instituto de Cultura Japonesa, na PUC (Pontifícia Universidade Católica) em Porto Alegre/RS.

O curso é pioneiro em Universidades do Brasil, tendo sido instituído em 2001. O aluno irá aprender a criar e executar um trabalho( em Desenho de Imprensa, tal como Cartum, Caricatura, Charge ou Ilustração )no estilo mangá avaliável para fins de conclusão do Curso - passando por todas as etapas de produção, com metas a cumprir, prazos e/com qualidade em tempo real de produção, tendo a sua avaliação feita através deste trabalho e de tarefas práticas, visando uma abordagem objetiva e positiva das realidades de Mercado, com acompanhamento individual e permanente pelo professor.

Os alunos terão a oportunidade de ter uma introdução prática ao mangá, e o professor irá fornecer apostilas para as aulas. Ao final do curso, os trabalhos dos alunos serão publicados( com a sua permissão, e após terem sido devidamente registrados no nome de seus autores )em um um fanzine de conclusão e também em três websites interligados, tendo sido traduzidos para o Inglês e o Espanhol.

A primeira aula do curso será sobre Direito Autoral e Registro de Personagens, assunto pertinente ao currículo e programa do mesmo. O curso não tem pré-requisitos para admissão, e aceita alunos a partir de 12( doze )anos.

Estrutura do curso:
- Character design
- Argumento e Roteiro
- Layout e Cenografia
- Figura Humana I ( crianças )
- Figura Humana II ( marculino )
- Figura Humana III ( feminino )
- Perspectiva e Sombras
- Texturas
- Shonen e Shojo Mangá
- Desenho de Imprensa e Ilustração
- Materiais e Técnicas de Arte-final I ( canetas )
- Materiais e Técnicas de Arte-final II ( penas )
- Produção I ( layout )
- Produção II ( acabamento )
- Produção III ( letreiramento e balões )
- Letreiramento( manual e digital )
- Grafemas e Onomatopéias IV
- Paste-up e Graytones
- Encerramento

Marcos Pinto
É professor multilíngue( Inglês, Francês, Espanhol e Italiano ), profissional na área das Artes Gráficas e ilustrador com mais de 29 anos de experiência( desde 1980 )com trabalhos (em Ilustração para Literatura, Cartum e História em Quadrinhos )dedicados ao público Infanto- Juvenil - quer publicados no Brasil, e também divulgados no Exterior, assim como trabalha como professor de crianças e jovens na área das Artes Gráficas desde 1984.

Informações pelo e-mail: marcosbnpinto@gmail.com

Inscrições:

PRÓ-REITORIA de EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA
Prédio 40 da PUCRS - sala 201 ( segundo andar ) - Av. Ipiranga, 6681 - PORTO ALEGRE – RS.

Fone: ( 51 ) 3320-3583

4º CONCURSO CULTURAL DA TURMA DO GABI – DESENHO - INDAIATUBA – SP


REGULAMENTO

PARTICIPAÇÃO: Podem participar do concurso crianças de todo o Brasil com idade de 09 a 14 anos.

TEMA: Faça um desenho em qualquer técnica (Tema Livre) em papel ofício (Colado em cartolina do mesmo tamanho) e envie para:

Rua Pedro Gonçalves, 477, Jardim Pau Preto, CEP: 13.330-210,

Indaiatuba, SP.

Ou entregue direto na secretaria do Casarão Cultural Pau Preto.

INSCRIÇÕES: Os trabalhos devem ser enviados até o dia

30 de Junho de 2010.

“No verso do desenho deve constar o nome do autor, endereço completo, idade, nome da escola e série que está cursando”.

De todos os trabalhos que forem inscritos a equipe do

EMT – Estúdio Moacir Torres estará selecionando os que farão parte da exposição. Dentre os selecionados, a comissão estará premiando os três melhores.

PRÊMIOS: Os três premiados receberão um MP3, bem como um “Kit Cultural” com as revistas em quadrinhos e livros infantis da Turma do Gabi.

EXPOSIÇÃO: A exposição dos trabalhos selecionados e premiados acontecerá de 01 a 31 de Julho no Casarão Cultural Pau Preto em Indaiatuba, SP.

Todos os classificados estarão recebendo um certificado de participação.

Os organizadores divulgarão o nome de todos os selecionados, bem como os três premiados no blog: www.turmadogabi.blogspot.com.

Maiores informações: (19) 3875-8383 ou 3834-6319

REALIZAÇÃO: ESTÚDIO EMT

APOIO: FUNDAÇÃO PRÓ-MEMÓRIA – PREFEITURA MUNICIPAL DE INDAIATUBA.

HOMENAGEM A ANGELO AGOSTINI NA PANDORA

Participe, envie sua caricatura, cartum ou charge sobre Angelo Agostini ou seus personagens. Pesquise aqui e envie (até dia 29/01) sua imagem com 300 dpi de resolução para biradantas@globo.com e ricardo@pandora.art.br

Cem anos sem Angelo Agostini merece uma homenagem especial.
Este genial artista gráfico, criador da primeira HQ do mundo (As Aventuras de Nhô Quim) em 30 de Janeiro de 1869, fundou os mais importantes jornais do Brasil na época (Diabo Coxo, O Cabrião, Revista Illustrada) e colaborou com inúmeros outros (O Mosquito, Vida Fluminense, Tico-tico).
Suas charges eram lidas e discutidas por todos. Ele era realmente popular.
Infelizmente, morreu sem reconhecimento.
A Escola de Arte Pandora quer reparar isso com uma exposição de professores. alunos e notáveis quadrinhistas dos tempo atuais: Marcio Baraldi, Franco de Rosa, Kipper, Morettini, Ruy Jobim, Shimamoto, Ney Lima, Toni d'Agostino, Nei Lima, Edgar Franco, Mastrotti, Matheus Moura, Stocker, Will, Gualberto, entre outros darão a graça de seus traços em honra do nosso passado.
Pois sempre é tempo de provar que temos memória sim e que um Mestre como Angelo Agostini não será esquecido nunca.

Exposição de 29/01 à 13/02.
Das 9h00 às 19h00 (de segunda à sexta) e das 9h00 às 13h00 (sábado)

Nova Pandora, Escola de Arte
Rua Joaquim Novais, 146
Fone (19) 3305.4731
Cambuí • Campinas - SP

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

6ª Feira do Quadrinho e Arte (SP)


O Dia do Quadrinho Nacional será comemorado no dia 30 de janeiro com eventos em várias cidades brasileiras. A 6ª Feira do Quadrinho e Arte, que também é uma homenagem ao centenário da morte do pioneiro Angelo Agostini (1843-1910), será realizada pelo Sebo Multiverso – Unidade II (Rua Cardeal Arcoverde, 422, esquina com a Rua Capote Valente, próximo ao Metrô Sumaré - São Paulo-SP) a partir das 11h. Haverá oficina, lançamentos, sessões de autógrafos, bate-papo com quadrinhistas e editores, distribuição de brindes, e descontos em diversos produtos, tanto nacionais quanto importados. A entrada é franca. Confira abaixo a programação completa do evento. Mais informações sobre o evento pelo telefone (11) 2361-2201.

11h00 – Abertura;
11h30 – Oficina: Quadrinhos de Humor com Raphael Fernandes, editor da revista MAD;
14h00 – Enquadro – Capítulo 1: Domingas – Casa da Lapa;
15h00 – Os Super-Heróis no Cinema de André Morelli – Editora Europa;
16h00 – Yeshuah de Laudo Ferreira Jr. e Omar Viñole – Devir;
17h00 – Bate-papo com: Danilo Beyruth (Necronauta), Laudo (Yeshuah), Levi Trindade (Panini), André Morelli (Mundo dos Super-Heróis), Julio Dojcsar (Casa da Lapa), Jota Silvestre (Papo de Quadrinhos), Raphael Fernandes (MAD) e Will (Quarto Mundo).

Fonte: Bigorna

Guia Mangá de Estatística traz matemática em quadrinhos


A Novatec Editora acaba de lançar no Brasil o Guia Mangá de Estatística, uma obra que, em quadrinhos, pretende auxiliar os estudantes a dominar uma das disciplinas menos agradáveis para os pouco afeitos à matemática.

Por meio dos personagens Yamamoto e Luya, respectivamente professor e aluna, o leitor aprenderá a "calcular a média, a mediana e o desvio-padrão de pontuações de boliche; representar os preços de diversos tipos de lámen em um histograma; calcular o coeficiente de Cramer para determinar como meninos e meninas preferem ser convidados para sair; aprender como o valor-padrão é usado para ajustar as notas de provas quando os professores qualificam utilizando uma curva de desempenho" e outros tópicos apontados no press release da obra, cujo método de ensino utiliza situações do dia a dia para uma melhor compreensão do conteúdo.

Além das HQs, a publicação traz um caderno de exercícios e respostas para a prática das lições abordadas.

Produzido por Shin Takahashi, Iroha Inoue e Trend-Pro Co., o guia foi publicado originalmente nos Estados Unidos e faz parte de uma coleção de livros em quadrinhos que tratam de várias áreas do conhecimento científico, como a eletricidade e a física, alguns já publicados pela Novatec e outros com lançamento agendado para breve.

Guia Mangá de Estatística tem 224 páginas, custa R$ 39,00 e está à venda em livrarias e no site da editora.

Fonte: Universo HQ

Últimas vagas para os cursos de desenho, HQ e mangá em Fortaleza


O desenhista Daniel Brandão informa que estão disponíveis as últimas vagas para os cursos que seu estúdio ministrará em Fortaleza/CE, nas áreas de desenho (incluindo uma oficina para crianças), histórias em quadrinhos e mangá.

Cada curso, com dez alunos por turma, terá duração de cinco meses. O de desenho começará no próximo 23 de fevereiro e será realizado sempre às terças e quintas-feiras, de 19h às 20h30min; os de histórias em quadrinhos e mangá, com início no dia 27 do mesmo mês, acontecerão aos sábados, respectivamente das 9h às 12h e das 13h às 15h.

Os interessados em se matricular deverão pagar uma taxa no valor de R$ 60,00. A mensalidade será de R$ 100,00 e a idade mínima para inscrição é de 12 anos para o curso de mangá e 14 anos para os demais.

Para mais informações, basta entrar em contato com Daniel Brandão por telefone (0-XX- 85-3264-0051), em horário comercial, ou pelo e-mail daniel.s.brandao@gmail.com

Fonte: Universo HQ

Ações lembram Semana Mundial de Combate à Hanseníase

(Clique em cima da imagem)

A partir desta terça-feira (26) até o próximo domingo (31), dia mundial de combate à Hanseníase, a Secretaria Estadual de Saúde realiza a Semana Mundial de Combate à Hanseníase. Durante esses dias serão realizadas atividades alusivas ao tema, com o objetivo de sensibilizar a população sobre a importância da identificação dos sinais e sintomas para o diagnóstico precoce da doença.

As ações desta terça-feira (26) contam com a entrega dos prêmios aos primeiros colocados no I Concurso de Educação em Saúde (Tema Hanseníase), realizado no final do ano passado, em parceria com a Pastoral de Saúde. Como o publico alvo era crianças e adolescentes de 11 a 16 anos, os dez autores das melhores histórias em quadrinhos relacionadas à doença receberão os prêmios das mãos do vice-governador do Estado e secretário de Saúde, João Lyra Neto, e do arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido.

Na próxima quinta-feira (28), jovens do Programa Vida Nova, da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, distribuirão materiais informativos sobre hanseníase, na Praça da Independência, no centro do Recife. Já na sexta-feira (29), no mesmo local, a panfletagem continua paralelamente ao oferecimento de exames de pele gratuitos, das 8h às 16h.

A última ação da Semana de Combate à Hanseníase é voltada especificamente para profissionais de saúde. Nos dias 1 e 2 de fevereiro, cerca de 50 médicos e enfermeiros participam do I Encontro Pernambucano de Discussão da Vigilância de Recidivas e Resistência Medicamentosa em Hanseníase, que acontece no Hotel Canarius, em Boa Viagem.

DADOS - Em 2008, segundo a Organização Mundial de Saúde, foram diagnosticados 234.580 da doença em diversos países. O Brasil é o segundo país do mundo com maior número de casos (em absolutos) - 39.047, no mesmo período -, ficando atrás apenas da Índia. Em Pernambuco, em 2009 (os dados ainda não foram fechados), foram 2.850 novos casos da doença, sendo 275 deles em menores de 15 anos (desses, 6% já apresentavam alto grau de deformidade física). Em 2008, foram 2.226 casos.

Fonte: JC online

Febre de mangá

Araçatuba - Personagens expressivos e envolventes, de olhos grandes, capazes de voar e lançar energia pelo corpo, mas sem deixar de lado as expressões humanas. Estas são características importantes do mangá, história em quadrinhos feita no estilo japonês que cativa pessoas do mundo inteiro.

No Brasil, mangás como Speed Racer, Cavaleiros do Zodíaco, Akira, Homem de Aço e Dragon Ball conquistaram fãs. Recentemente, chegou a vez de Naruto, Bleach, Hunter X Hunter, entre outros, cair no gosto da garotada.

Na semana passada, uma oficina gratuita de mangá do projeto de férias Curto-Circuito, organizado pelo Sesc (Serviço Social do Comércio), tornou diferente as férias de 50 crianças e jovens das cidades de Araçatuba e Birigui, mostrando que o estilo tem muitos fãs na região.

O estudante João Vitor Donatoni, 11 anos, foi um dos participantes da oficina. "Procurei o curso por diversão, pois gosto muito de desenhar e queria aprender a fazer mangá", afirma. Ele conta que seu mangá preferido é Bleach, desenho sobre a vida de um adolescente que consegue ver fantasmas.

MOTIVAÇÃO
O professor de desenho Hélio Gomes, 49 anos, responsável por ministrar as oficinas de mangá no Sesc, afirma que o desenho japonês pode motivar positivamente crianças e jovens na escolha de uma profissão.

"Muitos estudantes que hoje cursam arquitetura, design industrial, design de produtos, design de interiores, engenharia de jogos e áreas ligadas ao desenho, iniciaram desenhando mangá", afirma Gomes.

Para quem estiver no começo, o professor aconselha prestar bastante atenção e se dedicar ao desenho dos olhos, rosto, corpo e cenários, pois eles são fundamentais no estilo japonês.

Segundo Graziela Nunes, animadora cultural do Sesc, o objetivo da oficina foi oferecer programas diferentes para as férias. "Nós pretendemos dar uma sequência para os alunos que já iniciaram a oficina de mangás", conta.

HISTÓRIA
O mangá é um gênero também diferente pela forma com que lemos os quadrinhos, da direita para a esquerda (é difícil, mas dá para se acostumar). As raízes deste estilo são do século oito, com o aparecimento dos primeiros rolos de pinturas japonesas: os emakimonos.

Séculos mais tarde, o desenhista Osama Tezuka desenvolve personagens com feições e expressões exageradas. Tezuka cria em 1963, em seu estúdio Mushi Production, a primeira série de animação para a televisão japonesa, o Astro Boy.

É importante lembrar que alguns mangás têm conteúdo inadequado para o público infanto-juvenil.

Neste caso, a leitura é indicada somente para adultos. Fique de olho!



Fonte: Folha da Região

Última semana para inscrever projetos literários no IAP


Escritores paraenses têm até a próxima segunda-feira, dia 1º de fevereiro, para inscrever-se no Prêmio IAP de Artes Literárias 2010, do Instituto de Artes do Pará. O prêmio é dividido em Prêmio IAP de Edições Culturais e Bolsa de Pesquisa, Experimentação e Criação em Artes Literárias. O edital e o formulário de inscrição estão disponíveis para download no site da Secult (http://www.secult.pa.gov.br/Editais.asp).

O Prêmio IAP de Edições Culturais contempla os gêneros Auto Popular, Ensaio e Cordel, este último incluso pela primeira vez na premiação, reforçando uma característica especial da premiação: a valorização da cultura e tradições populares.

Na categoria Cordel, a comissão selecionará obras escritas totalmente em versos, com métricas padronizadas na experiência do cordel paraense, contando histórias de ficção ou não-ficção, episódios, biografias, ou similar.

A categoria Auto Popular contempla textos escritos com histórias de representação, encenados ou inéditos, de manifestações tradicionais como bois-bumbás, pássaros juninos, cordões de bichos, pastorinhas e outros. Já a categoria Ensaio contempla texto literário situado entre o poético e o didático, que exponha ideias, críticas e reflexões morais e filosóficas a respeito de tema de livre escolha. Este gênero foi pensado como uma forma de aproximar o IAP da produção acadêmica, sabendo-se da dificuldade de publicação de textos de caráter científico.

As categorias Cordel e Auto Popular podem contemplar mais de um autor, que terão suas obras compiladas em um mesmo volume de cada gênero. O IAP publicará três livros, com tiragem de mil exemplares cada, cabendo aos seus autores 500 exemplares, permanecendo 500 exemplares no IAP, para divulgação institucional da obra e doação a bibliotecas públicas.

Criado em 2002, o Prêmio IAP de Literatura foi o primeiro no Estado a garantir a publicação das obras dos autores contemplados, ampliando as possibilidades de projeção nacional e internacional. O prêmio já contemplou 28 livros, nos gêneros Conto, Romance, Poesia, Teatro, Literatura Infantil, Dramaturgia, Ensaios, Auto Popular e História em Quadrinhos.

Na última edição do prêmio, foram contempladas as obras "Batista", de Carlos Correia Santos, na categoria Dramaturgia; "Um olhar sobre Belém do Grão-Pará, de Dalcídio Jurandir", de Paulo José Maués Corrêa, na categoria Ensaio; e "Catarse - Quadrinhos", de Everton Cardoso Leão, Alex Pinheiro e Adnilson Gomes, na categoria História em Quadrinhos.

Na categoria Auto Popular, o prêmio foi concedido a três obras: "Nas Asas a Liberdade", de Laurene da Costa Ataíde; "Cordão do Tangará", de Idolasy Moraes das Neves; e "As Pastorinhas", de Sebastião Teodomiro da Costa Filho, sendo os dois últimos representantes de manifestações culturais do município de Itaituba.

Nos anos anteriores, já foram contemplados autores como Dand M, com "As flores da campina" (poesia); Nilson Oliveira, com "A outra morte de Haroldo Maranhão e outros contos" (prosa); Paulo Vieira, com "Infância vegetal" (poesia); e Edílson Pantoja, com "Albergue noturno" (romance), entre outros.

Bolsa - Em sua primeira edição, o Prêmio IAP de Artes Literárias oferece a autores paraenses a Bolsa de Pesquisa, Experimentação e Criação em Artes Literárias. O objetivo é estimular a investigação e a concepção de novos caminhos temáticos e formais para a literatura produzida no Pará, buscando, ao mesmo tempo, interrogar suas raízes mais genuínas (pesquisa) e ampliar seus horizontes teóricos e práticos (pesquisa e experimentação).

O escritor Vicente Franz Cecim, da gerência de Artes Literárias e Expressões de Identidade do IAP, explica como surgiu a ideia da criação da bolsa. "Ao longo desses anos, através da realização do Prêmio IAP, conhecemos mais de perto as necessidades dos autores e percebemos que precisávamos estimular a pesquisa em literatura, permitindo que os autores estudem e façam experimentações em termos de linguagem e nas temáticas e, nesse processo, inserir a literatura paraense na contemporaneidade".

Para Jaime Bibas, presidente do IAP, a criação da Bolsa de Pesquisa, Experimentação e Criação em Artes Literárias é fruto do êxito das experiências conquistadas com as bolsas ofertadas às demais categorias artísticas. "O IAP agora estende aos autores paraenses a possibilidade de pesquisar e experimentar a linguagem artística em si, da mesma forma como os contemplados das bolsas das outras categorias já vinham fazendo com sucesso. E este é um diferencial nosso em relação às outras bolsas de estímulo à literatura do país".

O IAP oferecerá até três bolsas nesta categoria, cada uma no valor de até R$ 12 mil, nos gêneros Romance, Conto, Poesia e Dramaturgia Teatral. Sua vigência está dividida em duas etapas: "Pesquisa e Criação" e "Transmissão e Troca de Experiências", fase esta em que o proponente, após o encerramento da bolsa, participará de encontros, palestras, oficinas e workshops para compartilhar os processos que desenvolveu e os resultados obtidos com a bolsa.

Serviço - Edital Prêmio IAP de Artes Literárias 2010. Inscrições abertas no Instituto de Artes do Pará (Praça Justo Chermont, 236, Nazaré, ao lado da Basílica) até dia 1º de fevereiro. Edital disponível na sede do IAP e no site http://www.secult.pa.gov.br/Editais.asp. Informações: 4006 2906 / 4006 2921.

Fonte: Agência Pará de Notícias

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

SENAC SP lança Curso de Roteiro de HQ a distância


O SENAC SP lançou o curso Roteiro de História em Quadrinhos, ministrado a distância. A carga horária é de 20 horas e os interessados em fazer o curso devem ter no mínimo 17 anos e Ensino Médio completo, além de cerca de 50 minutos diários para estudar e computador com Internet. O curso terá início no dia 3 de fevereiro e terminará no dia 12 de março.

O investimento é de R$ 261,00 (que pode ser pago em até duas vezes no boleto bancário ou no cartão de crédito Mastercard ou Dinners); no caso de pagamento à vista no boleto bancário, há desconto de 5%. Os alunos aprovados receberão pelo correio certificado de conclusão. Saiba mais aqui.

Fonte: Bigorna

Dos quadrinhos ao mangá


Texto de Adriano Ribeiro e Camila Bevilacqua

Bordas largas, cores fortes, personagens com superpoderes ou em situações heroicas e nada humanas. Poder voar, liberar teias pelos punhos, seja formado por uma equipe ou por um personagem solitário, como Wolverine. As Histórias em Quadrinhos - HQs, como são conhecidas hoje - conquistaram adolescentes e adultos e se tornaram febre pelo mundo todo.

Contar o nascimento das HQs é uma tarefa difícil. Isso pelo momento em que se pode considerar a criação dessa arte. Há quem diga que tudo começou com os hieróglifos (sinais da escrita pictográfica dos antigos egípcios). Outros dizem que a arte rupestre, aqueles inscritos ou desenhos nas rochas, são a representação mais antiga dos quadrinhos. Na verdade, tudo o que é definido como uma história cronológica pode ser visto como ponto de partida para as HQs atuais.

Ao longo dos anos os quadrinhos evoluíram. A estrutura atual foi arquitetada no início da década de 1990. Juntaram-se as folhas formando um livreto preso com grampos que era distribuído de forma gratuita. Depois disso, foi comercializado a um baixo preço, até o dia em que um jornal de Nova York, “The New York Sunday World”, decidiu imprimir, pela primeira vez a cores e em uma página inteira, os quadrinhos para aumentar a venda do periódico. O personagem da tira era “Yellow Kid” (O Menino Amarelo), de Richard Outcault. O HQ inovava com personagens fixos e frases.

Algum tempo depois, o concorrente “Morning Journal” publicou um encarte semanal com oito páginas. A disputa entre esses dois grandes jornais, além de ser responsável pela reformulação estrutural das HQs, acelerou sua modernização. Ainda não havia balões com falas. Antes, o diálogo era escrito na roupa do personagem. Nem os desenhos eram exatamente dispostos em quadros. Eram jogados nos espaços das tirinhas.

A passagem do personagem principal e seus companheiros tinha um aspecto independente, mas os traços infantis e a forma sequencial da arte, contando uma história, já estavam presentes.

De acordo com o crítico de cinema Ricciotto Canudo, a história em quadrinho é a nona arte e recebeu diferentes nomes ao redor do mundo.

Essa maneira de contar histórias deu tão certo e é tão valorizada hoje que existem lojas e sebos especializados em HQs. O Sebo e Livraria Multiverso, por exemplo, tem duas lojas com cerca de 70% do material voltado para o mundo dos quadrinhos.

Segundo Anderson Roberto da Silva, 33, proprietário de um dos sebos Multiverso, a ideia de abrir um sebo de HQs surgiu para unir o útil ao agradável. “Os quadrinhos sempre foram uma paixão e percebemos que um sebo para esta área seria um diferencial, já que é uma faixa mal explorada do mercado”, disse.

Anderson diz que há bastante procura e que o público é diversificado e cativo. “Quando conhecem o sebo, é um processo contínuo de procura e troca. Os clientes variam de 13 a 40 anos. Os mais velhos normalmente já colecionavam e perderam o material de alguma maneira. Assim, eles procuram quadrinhos clássicos. Os mais jovens estão antenados nas novidades do mangá (quadrinho japonês)”.

Os preços variam entre R$ 1e R$ 5. O material antigo é o que mais vende. Apesar de a maioria do público ser masculino, hoje muitas mulheres procuram os sebos, em busca principalmente do quadrinho japonês.

Mangá

Há no Japão os chamados mangás, que se divergem um pouco das HQs por terem como principais características a liberdade de esquema dos quadros e as variedades de temas como drama, heroísmo e diversidade sexual.

No Brasil, nos anos 90 os mangás dominaram seu espaço e muitos deles foram transformados em animes - desenhos exibidos na televisão, em vídeo ou em cinemas - o que marcou mais a vida dos jovens e da nova legião de seguidores da arte.

Há escolas na região que dão aulas de mangá, como a AreaE, que tem sede na Liberdade, em São Paulo, há cinco anos, e uma filial no Rudge Ramos, em São Bernardo, com a mesma gerência desde 2007.

Segundo Fabrizio Torao Yamai, diretor da escola, “O grupo AreaE possui mais de 400 alunos, distribuídos em 48 turmas, com horários de segunda a sábado, de manhã, de tarde e de noite. A filial do Rudge Ramos tem cerca de 70 alunos, em 11 turmas”.

O diretor explica que o mercado de mangás cresceu no país porque as pessoas passaram a ter mais acesso às publicações. “Esse estilo de desenho gera fascínio e curiosidade nos leitores e, atualmente, a quantidade de mangás vendidos em banca é bem maior do que há cinco anos”, disse.

Os japoneses têm um forte hábito de leitura, com uma faixa-etária bem mais abrangente do que a infanto-juvenil. Assim, quando alguma editora publica um mangá, sua tiragem chega a milhões e em vários estilos para agradar a todos os gostos.

A ordem de leitura de um mangá japonês é a inversa à da ocidental, ou seja, é feita da direita para a esquerda. Alguns mangás publicados fora do Japão possuem a configuração habitual do Ocidente.

Além disso, o conteúdo é impresso em preto-e-branco, contendo esporadicamente algumas páginas coloridas, geralmente no início dos capítulos, e em papel reciclado, tornando-o acessível a qualquer pessoa.

Perfil Brasileiro

Muito se especula sobre o leitor de quadrinhos, mas até o momento ninguém sabia como ele era ou, pelo menos, se alguém sabia - suspeita-se que algumas editoras tenham pesquisado o mercado - não divulgava.

Um trabalho pioneiro realizado por alunos da Esamc (Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação), a pedido do site Mundo HQ, revela pela primeira vez o perfil do atual leitor de quadrinhos do Brasil. Alguns dados não surpreendem: a maioria dos leitores, por exemplo, é do sexo masculino (85%).

Victor Geovou, 21, assume seu vício por quadrinhos. “Compro sempre há uns quatro anos. Eu lia na escola quadrinhos nacionais, mas depois comecei a me interessar por mangá por causa dos desenhos que passavam na TV. Gosto muito de Naruto e Full Metal Alchemist, que são publicados há vários anos no Japão. Leio em um site na internet que disponibiliza os últimos capítulos em inglês.”

Outros dados da pesquisa revelam um leitor diferenciado: grande parte já completou o segundo grau (52%), outros 25% têm curso universitário e 3,7% dos leitores fazem ou já fizeram pós-graduação. E mais: 61% dos leitores preocupam-se com o português das HQs, sendo que 8,1% começaram a ler gibis como parte do processo de alfabetização, e 51% dos leitores leem histórias em outras línguas.

A pesquisa foi realizada durante o 1º Festival de HQ e Universo Fantástico, que reuniu em Campinas, no mês de setembro, cerca de 3.000 fãs de todo o Brasil. Segundo Adriana Mesquita, uma das alunas que coletaram os dados, “essa pesquisa derruba o mito de que histórias em quadrinhos são de interesse exclusivo de crianças e adolescentes. Ela mostra a representatividade do público adulto, que lê quadrinhos há muito tempo, logo conhece do assunto e quer ser tratado diferenciadamente”.

Mais da metade das pessoas que participaram da pesquisa acredita que o contato com a tecnologia moderna - internet e videogame - acabam influenciando o consumo de HQ e 40,7% já leem HQ´s online, porém 17% não as consideram uma verdadeira HQ, pois acreditam na forma conservadora: revistas impressas.

O dono, autor e ilustrador do site Nona Arte ou Acervo HQ, André Diniz, fala que decidiu colocar à disposição gratuitamente as histórias que cria no site. São mais de 400 quadrinhos disponíveis para download ou leitura online: o maior acervo de HQ em língua portuguesa da internet.

No dia 30 de janeiro é comemorado o Dia Nacional da História em Quadrinhos. Sebos especializados do país farão um evento simultâneo na data. Cerca de 20 sebos de São Paulo participarão dando descontos, exposições e palestras. O evento tem parceria do Quarto Mundo (coletivo de Quadrinistas Independentes).

Serviço

Sebo Multiverso

  • rua Cardeal Arcoverde, 422 - esquina com a rua Capote Valente - Alto de Pinheiros, São Paulo/SP
  • avenida João Batista, 104, Osasco/SP

AreaE - Escola de Mangá

  • rua da Glória, 279, Cj. 55 – Liberdade, São Paulo/SP
    Telefone: 3207-7624
  • rua Uberaba, 44 - Rudge Ramos, São Bernardo do Campo/SP
    Telefone: 4368-9173

8º Encontro dos Cartunistas do ABC e São Paulo (SP)

O 8º Encontro dos Cartunistas do ABC e São Paulo será realizado no dia 30 de janeiro, das 15h às 20h, no Fran'S Café Portugal (Av. Portugal, 1.126 – Santo André-SP). Nessa comemoração do Dia do Quadrinho Nacional, organizada por Mario Mastotti (Editora Virgo) com o apoio da Fran'S Café Portugal e da W.Carvalho Gráfica, haverá sessões de autógrafos, exposição, homenagem a Angelo Agostini e muito mais. Para participar, basta levar 1 gibi para doação. Confira a seguir a programação do evento.

- Os 7 autografam sua revista de Humor Gráfico;
- Homenagem a Angelo Agostini, pioneiro do Quadrinho nacional;
- Exposição relâmpago de charges: Nossos políticos e as promessas não cumpridas;
- Análise de portfólio: Os cartunistas avaliam trabalhos dos visitantes;
Leve seus desenhos e receba orientação dos profissionais da área;
- Autores autografam os livros da série Tiras de Letra;
- Presença confirmada de vários autores da capital e região;

- Caricaturas ao vivo.

Fonte: Bigorna

Dia do Quadrinho Nacional 2010 (BH)

(Clique na imagem para ampliar)

Pelo quinto ano consecutivo, a Associação Cultural Nação HQ, em parceria com o Restaurante e Centro Histórico Alphino realização a comemoração oficial em Belo Horizonte do Dia do Quadrinho Nacional.

O evento marcado para o dia 30 de Janeiro, sabado, celebra a publicação do ítalo brasileiro Ângelo Agostini em 1869, tida como a primeira HQ do Brasil.

Muitas novidades este ano. Apoio da Fundação Municipal de Cultura, do Coletivo Quarto Mundo, do Coletivo de Pesquisa em Quadrinhos da UFMG e do Núcleo de Ilustração e Quadrinhos.

Nos próximos dias a programação completa.

Outras informações: 31-3441-2315 ou 31-9913-6099

Fonte: http://www.quadrinho.com/especial/

Últimos dias da exposição Turma da Mônica em Estilo Mangá


Seguirá até o próximo dia 31 a exposição em homenagem à Turma da Mônica no Shopping Metrô Tatuapé (Av. Radial Leste, São Paulo/SP).

A mostra exibe desenhos dos personagens de Mauricio de Sousa no estilo dos quadrinhos japoneses, produzidos por ilustradores do Estúdio Oniguiri e pelos professores da escola de mangá Areae.

Turma da Mônica em Estilo Mangá, que está acontecendo desde o final do ano passado, como parte do evento Anime Fantasy 2009, tem entrada gratuita e pode ser visitada das 14h às 20h, até o sábado, e de 14h às 19h, no domingo, último dia da exposição.

Fonte: Universo HQ

SP: Veja o Filme, Leia o Mangá


Com o lançamento do longa-metragem policial SP, está sendo lançado na revista semanal para leitores adultos Big Comic Spirits, da Shogakukan, um mangá baseado no filme (não consegui informações concretas se ele tem alguma relação com o mangá publicado em 2000 pela própria Shogakukan, SP: Security Police, de Yasuyuki Kunitomo, o mesmo autor do novelão Shiawase no Jikan; eu não duvido que tenha). O longa, no caso, é derivado de um seriado exibido na televisão japonesa entre 2007 e 2008, e a nova história em quadrinhos terá a assinatura de Yaku Haibara, o mesmo responsável pelo mangá de Sengoku Basara publicado na Dengeki Maoh da Media Works. Essas coisas tendem a funcionar: Yaibara é competente e o filme costuma vender bem os quadrinhos nesses casos.

Fonte: Maximum Cosmo

Cartunistas se unem contra exoneração da coordenadora do Salão de Humor de Piracicaba


As entidades de classe ACB - Associação dos Cartunistas do Brasil, IMAG - Instituto Memorial de Artes Gráficas do Brasil e SIB - Sociedade dos Ilustradores do Brasil divulgaram nesta terça-feira uma carta aberta endereçada à prefeitura de Piracicaba/SP, repudiando o afastamento de Maria Ivete Araújo (Zetti) do cargo de coordenadora do Salão Internacional de Humor de Piracicaba.

Zetti ocupava a posição há três décadas e é apontada pelos artistas como a principal responsável pelo sucesso do evento, um dos mais prestigiados da área e previsto em lei municipal.

O motivo da exoneração da coordenadora ainda não foi revelado oficialmente.

Confira abaixo, na íntegra, a descrição da carta aberta à prefeitura de Piracicaba, distribuída também aos vereadores da cidade.

Esta carta não representa apenas as entidades de classe abaixo assinadas, mas cerca de dois mil profissionais do humor gráfico brasileiro, integrantes de veículos de comunicação da imprensa escrita, TV e internet, editoras de livros e agências de publicidade.

Os cartunistas são a alma do Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Sem sua participação, não há evento. Somos, portanto, também responsáveis pela sua continuidade. Algo que o poder público municipal não pode deixar de reconhecer.

Aqui externamos, em carta aberta, nosso repúdio categórico à maneira pela qual a Sra. Maria Ivete Araújo (Zetti), colaboradora e diretora do Salão Internacional de Humor de Piracicaba nos últimos 30 anos, foi exonerada de seu cargo, durante as festas de fim de ano, por meio de uma carta entregue pelo secretário substituto temporário.

É inegável a competência de Maria Ivete Araújo, ao longo de várias gestões, na construção da longa história de sucesso do salão. Razão pela qual adquiriu todo o respeito no Brasil e no estrangeiro. Tendo sido, inclusive, adotada pelos humoristas gráficos como um símbolo da continuidade e resistência, até mesmo diante da ditadura e da censura.

Em vez de uma justa homenagem, pelo relevante trabalho prestado em nome do município de Piracicaba e pelos longos anos de diálogo entre a cidade e os cartunistas, Zetti foi descartada por uma decisão notadamente política.

Apelamos, enfim, à sensibilidade do poder executivo e dos parlamentares. Porque o salão não se resume a meras decisões administrativas e burocráticas. O espírito do evento valoriza, acima de tudo, o livre pensar e a arte. É assim que os cartunistas o compreendem.

Fazemos um apelo ao bom senso do Sr. Prefeito Barjas Negri, que sempre demonstrou carinho pelo salão. Não será em sua gestão, assim insistimos, que esse rico diálogo cultural será desprezado.

Por princípio, acreditamos que o que há de mais admirável no exercício da política sempre paira acima das bandeiras e interesses partidários. Deve-se governar pelo bem comum. Nós, cartunistas, somos justamente os maiores especialistas em traduzir, por meio de charges e cartuns, o pensamento do povo sobre tantos temas nacionais.

Aguardamos uma resposta, o mais breve possível, à nossa solicitação de retorno da Sra. Maria Ivete Araújo ao cargo de diretora do Centro Nacional de Documentação, Pesquisa e Divulgação de Humor de Piracicaba (CEDHU). Pois temos toda a convicção de que tal decisão será essencial para a valorização de nossa representatividade no evento.

Fonte: Universo HQ

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Ganhadores do Prêmio Moacy Cirne de Quadrinhos


Após seis meses de espera, saiu no Diário Oficial do dia 19 de janeiro de 2010 a lista com os nomes dos ganhadores do Prêmio Moacy Cirne de Quadrinhos, organizado pela Fundação José Augusto.

HQ Histórica

1ºlugar: O julgamento – Luiz Elson Dantas

2°lugar: O RN na rota de Cabral – Luiz Antonio Dias Borges

HQ Infantil

1º lugar: A jornada de Júlia – Gabriel Andrade da Silva Junior

2°lugar: Molecada – Jorge Wagner Bezerra de Freitas

HQ Aventura, Ficção e Humor

1°lugar: Quixaba – João Antonio de Medeiros Neto

2°lugar: Saudades e lembranças de um sertão de nunca mais – Luiz Elson Dantas

HQ Tema Livre

1°lugar: Remorsos – Carlos Alberto de Oliveira

2°lugar: O lápis, o traço, o pincel e a cor – Laércio Eugenio Cavalcanti

Jovens Artistas (até 16 anos)

1°lugar: Lição de Vida – Gilyan Medeiros

2°lugar: Emoção em alta velocidade – Kelton Flauber Ribeiro da Costa

Fonte: GHQ

A Espetacular Arte de Desenhar Quadrinhos (CE)


No dia 30 de janeiro (Dia do Quadrinho Nacional), às 9h, acontecerá o lançamento do livro A Espetacular Arte de Desenhar Quadrinhos, do cartunista e educador Lederly Mendonça, no SENAC Iracema (Rua Boris 90c - (ao lado do Centro Cultural Dragão do Mar - Fortaleza-CE). Durante o evento haverá uma aula gratuita, das 9h às 11h, ministrada pelo próprio autor. O livro tem 144 páginas e é dividido em sete capítulos (Anatomia Feminina – Anatomia Masculina – Criação de Personagens – Cenografia – Produção de Roteiros - Quadrinização – Ferramentas) + 01 apêndice com dicas rápidas (Como desenhar personagens aliens I e II – Como “molhar” a chuva – Como desenhar grafismos). Mais informações aqui.

Fonte: Vortex Art

Conhecendo Israel pela Vertigo


O selo adulto Vertigo, da DC Comics, lançará em breve How to Understand Israel in 60 Days or Less (literalmente: Como Entender Israel em 60 Dias ou Menos), graphic novel de Sarah Glidden que surgiu após uma viagem ao país do oriente médio.

Glidden é americana e judia e participou de uma excursão à Israel para conhecer o país de origem dos seus ascendentes. Uma vez lá, ela se viu questionada a respeito de tudo o que pensava saber sobre sua religião e sobre Israel. A documentação dessa viagem e esses questionamentos é o que a autora mostrará nesse trabalho.

A arte ao lado, de autoria da própria Glidden, é a capa, ainda não finalizada, de How to Understand Israel.

O selo Vertigo é responsável pelos títulos adultos da DC Comics (casa de Batman e Superman), que são desligados do universo regular de super-heróis da editora. Foi criado em 1993, tendo publicado títulos antológicos como Monstro do Pântano, Sandman, Os Invisíveis e Preacher. Atualmente, fazem parte da linha gibis como Fábulas e Escalpo.

Fonte: HQ Maniacs

domingo, 24 de janeiro de 2010

Dicas de textos sobre quadrinhos e ensino de ciências e matemática


Esta semana nós vamos comemorar o dia Nacional dos Quadrinhos. Uma pena que não seja ainda dia letivo, pois seria uma boa proposta separar uma semana para exposições, palestras, oficina sobre quadrinhos. Infelizmente, quem é professor sabe que na primeira semana de aulas é quase impossível fazer qualquer coisa bem organizada, sem reuniões e preparação prévia.

Resolvi, então, durante essa semana colocar no blog várias postagens relacionadas a quadrinhos e ensino. Para começar, quero disponibilizar vários textos referentes ao ensino de quadrinhos, relacionados aos conteúdos de "ciências". São links de textos (a maioria em pdf) disponíveis na Internet.

É comum eu receber e-mails de professores de vários conteúdos pedindo material. os que tem mais dificuldade são professores de química física e matemática. Então, segue minha contribuição. Bom proveito!

O Gênero História em Quadrinhos no Ensino de Química

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS E O ENSINO DE FÍSICA: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO SOBRE INÉRCIA

AS FASES DA LUA EM HISTÓRIAS EM QUADRINHOS NO ENSINO
FUNDAMENTAL


Uso de história em quadrinhos como ferramenta complementar ao processo de ensino-aprendizagem em Fisiologia Vegetal

HISTÓRIA EM QUADRINHOS: UM RECURSO DIDÁTICO PARA AS AULAS DE FÍSICA

LIGA MATEMÁTICA: PORQUE JUNTOS PODEMOS APRENDER

HQ em Matemática

Cascão em Ora, bolinhas! Uma conexão entre a Geometria e a História em Quadrinhos

QUESTÕES AMBIENTAIS E HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: UMA REFLEXÃO CONSTRUÍDA POR ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

A Geometria em quadrinhos

Tendências contemporâneas do ensino de Biologia no Brasil

Quadrinhos podem aprimorar ensino de biociências e saúde

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

CRIAÇÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS QUE ESTÃO NOS GIBIS